Porto Velho/RO, 06 Julho 2021 21:31:51

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 09/06/2021 às 09h51min | Atualizado 09/06/2021 às 09h52min

A- A+

Este negócio dos tucanos optarem por candidato ao governo de outro partido só dá confusão

Covid não é desculpa Segunda ou terceira onda, há pelo menos dois pontos que o drama sanitário não deveria travar: planejamento..

Covid não é desculpa

Segunda ou terceira onda, há pelo menos dois pontos que o drama sanitário não deveria travar: planejamento infraestrutural e prospecção de oportunidades. São pontos que, na verdade, são as duas faces da mesma moeda. A semelhança consiste em que planejar a partir de consensos, com base nas políticas de Estado, pode ser feito mesmo em meio à polarização eleitoral, que é legítima em seu calendário próprio.

Já a prospecção de oportunidades é uma tarefa tão técnica que pode driblar facilmente os ilusórios e limitantes filtros “ideológicos”. Depois de identificar o potencial, trata-se de definir investimentos, a começar pelos recursos necessários aos elementos infraestruturais. O nó de todo o quadro está em algo que, infelizmente, é paralisado pelas brigas eleitorais e melindres ideológicos – a inexistência de um projeto de nação.

Carolina Genin, diretora de Clima do WRI Brasil, observou que apesar de haver programas de incentivo a modelos sustentáveis de extrativismo e sistemas agroflorestais, “não há uma estratégia nacional para a bioeconomia”. A rigor, não existe estratégia nacional para nada. Ela seria a Constituição, o “livrinho” que o general Eurico Dutra quis cumprir com rigor. A toda hora, porém, ela sofre emendas que a desfiguram, quando não é acintosamente descumprida. Um projeto de nação depende de consensos, impraticáveis quando a gritaria sufoca o debate. 

…………………………………………………….

Crise hídrica

É grave a crise hídrica que atinge os estados do Sul e Sudeste já ameaçando a operação das usinas nos estados do Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Além dos reservatórios com o nível em queda livre, uma estiagem prolongada atinge o Paraná e Rio Grande do Sul, com centenas de municípios prejudicados pela seca. O que não se justifica é os caras-pálidas do Sul maravilha responsabilizarem a Amazônia pela escassez de chuvas.  Afinal foram eles que dizimaram as florestas e a cobertura vegetal existente naquelas regiões desequilibrando todo ecossistema.

Prévias tucanas

O PSDB nacional instituiu prévias para escolher seu candidato a presidência da República. Os nomes mais citados são os governadores João Dória (SP) Eduardo Leite (RS), e senador Tasso Jereissati, do Ceará. O mesmo modus operandi de escolha de candidatos pode se estender pelos estados. Assim sendo em Rondônia, o tucanato escolheria para chamar de seu candidato ao governo o prefeito de Porto Velho Hildon Chaves ou uma aliança de apoio ao senador Marcos Rogério (DEM), tendo como vice a deputada Mariana Carvalho e ao Senado Expedito Junior.

Dentes quebrados

Este negócio dos tucanos optarem por candidato ao governo de outro partido só dá confusão. Na eleição de Ivo Cassol em 2002 ao governo estadual, os tucanos tinham feito aliança com o candidato do PP Natanael e na convenção já estavam até com as camisetas de apoio. Ivo Cassol ficou furioso com a possível traição, pois tinha deixado a prefeitura de Rolim de Moura para disputar o então Palácio Presidente Vargas e ameaçou os insurrectos:  os traidores teriam os dentes quebrados. Os convencionais voltaram atrás, Ivo foi candidato e se elegeu.

Haja covid

A covid que já tinha atacado com furor os deputados estaduais e funcionários da Assembleia Legislativa de Rondônia no ano passado, agora, mais recentemente, atingiu mais dois parlamentares: Luizinho Goebel (PV-Vilhena) e o reinfectado Eyder Brasil (PSL-Porto Velho). A impressão que se tem na região é que uma terceira onda está chegando nestas bandas a partir de Vilhena. Mas por enquanto estamos bem(?) na foto, pois estamos ajudando até o Mato Grosso do Sul com internações de pacientes que necessitam de entubação.

Puniu os corruptos

Quem diria! Numa das legislaturas passadas, o deputado Eurípedes Lebrão (MDB-São Francisco), como mandatário da Comissão de Ética da Assembleia Legislativa, puniu dois parlamentares pelos seus malfeitos, dando uma satisfação para a sociedade e iniciando um processo de moralização da Casa de Leis. Mais recentemente, o próprio parlamentar, que era considerado um dos mais corretos do Legislativo estadual se envolveu no caso das propinas gravadas por empreiteiros e se safou de punições. Lebrão foi da água para o vinho em poucos anos.

Via Direta

*** Esburacadas, as rodovias em  Rondônia já recebem promessas dos políticos de recuperação *** A Rede de Farmácias Santo Remédio, com sede em Manaus, espicha seus tentáculos para Porto Velho e Belém *** Na capital rondoniense já são três unidades inauguradas *** Por falar em negócios, a Hawan ultima os preparativos para inaugurar a sua segunda unidade em Porto Velho, localizada na região do trevo do Roque *** Ainda sobre negócios: o apresentador Ratinho do SBT amplia ações no estado de Rondônia aumentando a presença da sua rede Massa de Rádio já instalada em oito municípios *** Em tempos incertos, estas iniciativas geram empregos, renda e  frutos na coleta de impostos girando a roda da economia que tem seu maior motor em Rondônia nosso agronegócio. 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas