porto velho - ro, 09 Novembro 2019 13:44:12
    Polícia

    Estudante de 13 anos é baleada dentro de escola

    Outra aluna, suspeita de ter atirado, foi detida. Vítima tem quadro estável.

    Por G1 AM
    A- A+

    Publicado: 06/06/2019 às 15h32min

    Uma estudante de 13 anos foi baleada dentro de uma escola na manhã desta quinta-feira (6), no conjunto Viver Melhor I, na Zona Norte de Manaus. Outra aluna, de 15 anos, foi detida por suspeita de ter atirado. A jovem foi atingida no pé e tem quadro de saúde estável.

    O caso ocorreu por volta das 9h na Escola Estadual Socorro Pacheco Braga. Os alunos do colégio estavam nas salas de aula e só ouviram o disparo, segundo uma amiga da vítima.

    “Faltava pouco tempo para o intervalo quando aconteceu tudo. Só ouvi o barulho dos tiros, os alunos correndo e trancaram as salas com a gente dentro. Então eu liguei pra minha mãe vir me buscar. Depois vi a menina sendo carregada pelo policial com muito sangue no pé”, disse a aluna, que não quis se identificar.

    Segundo a Polícia Militar, a estudante suspeita de ter atirado, em depoimento inicial, disse ter disparado a arma acidentalmente.

    “Ela nos informou que encontrou essa arma ontem no condomínio dela, no Viver Melhor e hoje levou para o colégio e ficou manuseando dentro da sala de aula. Ela disse que não teve a intenção de atirar, que foi acidental”, disse o sargento da 26ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que atendeu o caso.

    A adolescente baleada foi socorrida e levada para o Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, na Zona Norte da capital.

    Arma usada por estudante foi apreendida junto com instrutor que trabalha no colégio — Foto: Eliana Nascimento/G1 Amazonas

    Instrutor também é detido

    Ainda de acordo com policiais, o instrutor de um programa da escola, de 38 anos, também foi detido. Ele escondeu a arma do crime após o ocorrido.

    “A estudante [que atirou] nos informou que alguém já havia levado o revólver. Em seguida, instrutor do colégio, vinha saindo do banheiro e a arma se encontrava na cintura dele”, completou.

    O instrutor do programa educacional da escola alegou que pegou a arma do local para entregar ao diretor da escola.

    O caso foi encaminhado ao 26° Distrito Integrado de Polícia (DIP). A aluna suspeita de ter atirado será encaminhada para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DEAAI). Não há informações do estado de saúde da vítima.

    Em nota, a Secretaria de Educação do Estado (Seduc) informou que presta assistência às famílias e esclarece que caso é isolado. Leia na íntegra:

    “A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM) informa que a adolescente de 13 anos, ferida com um tiro no pé acidentalmente durante ocorrência registrada na Escola Estadual Eliana Socorro Pacheco Braga, recebeu atendimento no Hospital e Pronto Socorro da Zona Norte, onde está em observação e consciente. O estado de saúde da adolescente é considerado estável. A adolescente de 15 anos, responsável por levar um revólver para a sala de aula que disparou acidentalmente, foi encaminhada para o 26º Distrito Integrado de Polícia (DIP) para registro do ato infracional análogo ao crime de porte de arma de fogo e lesão corporal.

    Em depoimento, a adolescente disse que o disparo aconteceu enquanto ela mostrava a arma para os colegas e que, em seguida, foi com a arma para o banheiro, onde jogou no lixo. No entanto, policiais militares da 26ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), quando chegaram na escola, encontraram a pistola 380 que estava com a adolescente com um rapaz identificado como Mário Cruz Glória, que é voluntário de um projeto de jiu-jitsu. Ele também foi encaminhado para o 26º DIP onde está prestando depoimento. Ele disse que tinha a intenção de levar a arma até a gestão da escola.

    A Seduc-AM ressalta que está prestando toda assistência às famílias das duas estudantes envolvidas na ocorrência. Destaca, ainda, que a ocorrência se trata de um caso isolado e que incialmente não há registro de qualquer motivação. Vale ressaltar que o atendimento pela Polícia Militar foi realizado em 7 minutos, graças à parceria de monitoramento e segurança com a Seduc-AM e não foi registrada ameaça a qualquer estudante da escola”.



    Deixe o seu comentário