Porto Velho/RO, 05 Julho 2020 06:00:30

JoséLuiz

coluna

Publicado: 05/07/2020 às 06h00min

A-A+

Exportações da carne bovina rondoniense estão em ritmo acelerado

Expectativa positiva Com o dólar em alta, as exportações da carne bovina rondoniense em ritmo acelerado, a expectativa é de que na..

Expectativa positiva

Com o dólar em alta, as exportações da carne bovina rondoniense em ritmo acelerado, a expectativa é de que na entre safra arroba do boi gordo confinado no estado alcance R$ 200,00. Essa projeção além de pecuaristas, também é endossada pelo presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Rondônia (FAPERON) Hélio Dias e pelo empresário do ramo de frigoríficos, Leonel Bertolin. O mercado externo (outros estados) consome também uma parcela de 20% de toda carne produzida em Rondônia. Contudo para o consumidor regional nas gôndolas de supermercados e açougues o preço da carne continua salgado.

Agricultura familiar

Dos recursos para ser aplicado no Plano Safra 2020/2021, no valor de R$ 1,5 bilhão pelo Banco da Amazônia, em Rondônia, R$ 300 milhões foram destinados para investimentos na agricultura familiar de acordo com Diego Campos superintendente regional do BASA. Aliás, este setor conforme frisa o secretário adjunto da Secretaria de Agricultura (Seagri) Edinaldo Cardoso (Caíco) vem recebendo uma atenção especial por parte do governador Marcos Rocha para que as famílias sejam mantidas produzindo no campo.

No mesmo rumo

Também o Banco do Brasil, por meio do superintendente regional, Edison Lemos, ao participar do programa “Campo e Lavoura” na Rede TV! Garantiu que para Rondônia estão liberados recursos de R$1,7 bilhão para investimentos no Plano Safra 2020/2021. Se estes valores, por ventura se esgotar nas 52 agências da instituição o Banco tem condições de remanejar recursos para atender os produtores rurais, sejam grandes, médios ou pequenos. Portanto, recursos para o agronegócio não faltará.

Preocupação

Neste momento de pandemia, em que o coronavirus põe em cheque a criatividade das autoridades em todo País, uma face deste impacto já está clara, o agronegócio não pode recuar e necessita continuar avançando com políticas e investimentos arrojados como os que se observa em Rondônia para amenizar e combater a fome que ronda a periferia de grandes centros urbanos. Com certeza mais uma vez a solução para os grandes problemas políticos e sociais virá do campo amigo velho de guerra. Aos governantes cabe somente oferecer suporte, o restante os produtores rurais sabem fazer.

Milho

Ao contrário de Rondônia que no período do apendoamento do milho sofreu pela ausência de chuvas, Mato Grosso está colhendo uma super safra do produto que vai amenizar o bolso dos criadores de frangos e suínos. Agricultura é assim mesmo, contudo o Brasil ainda vai colher uma safra de grãos com mais 230 milhões de toneladas, computando soja, milho, algodão e café.

Finalizando

Esta tudo de cabeça para baixo, de um lado o coronavirus atazanando a nossa vida com a economia em pandareco, muita gente usando máscara para se proteger uma imagem nunca vista na história. Agora furando todas as previsões meteorológicas descambou uma chuvarada daquelas. Para o campo isso é bom, revigora natureza o capim que estava morrendo ressurge e o boi criado solto engorda. Boa leitura e bom final de semana.

 


Deixe o seu comentário

sobre José Luiz Alves

Colaborador do Diário da Amazônia - José Luiz Alves, é jornalista. Apresenta aos sábados das 6h às 8h na Rede Tv Rondônia! o programa Campo e Lavoura, com informações ao homem do campo e produtores rurais, em cadeia com seis emissoras de rádios para todo o Estado de Rondônia.

Arquivos de colunas