porto velho - ro, 22 Setembro 2019 01:38:44
    Política

    Flordelis: Novela gospel/policial fica cada vez mais confusa

    “Delegada agora não descarta possibilidade de participação da deputada no crime”

    Por Metrópoles
    A-A+

    Publicado: 23/06/2019 às 10h03min

    A participação da deputada federal Flordelis (PSD) na morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, não está descartada. A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSGI) apura essa possibilidade, além de informar que a motivação para o crime ainda não está definida. Um dos filhos da parlamentar afirmou aos investigadores, nessa quinta-feira (20/06/2019), que a mãe e três irmãs podem estar envolvidas na morte do pai, assassinado a tiros no último domingo (16/06/2019).
    A novidade ( possível participação da pastora e deputada num crime premeditado e meticulasomanete planejado vem causando revolta em alguns nichos do meio evangélico que praticamente idolatram Flordelis. Para essas pessoas, tudo não passa de “obra de Satanás” para macular uma mulher santa. Dos 55 filhos da pastora, mais da metade já tiveram problemas com a polícia.

    “Não está esclarecida se a execução aconteceu daquela forma que foi narrada, se são só essas pessoas envolvidas, então, muita coisa ainda está indefinida. São muitas motivações possíveis, pode ser mais de uma. E não está comprovada a relação extraconjugal”, explicou Lomba

    Durante entrevista à imprensa no início da tarde desta sexta-feira (21/06/2019), a delegada da DHNSGI, Bárbara Lomba, destacou que familiares, inclusive a própria deputada Flordelis, devem comparecer em breve para prestarem depoimentos. A investigadora optou por não dar detalhes do andamento das apurações, mas destacou que considera todas as possibilidades.
    Anderson do Carmo foi morto na garagem de casa, momentos após chegar com a esposa de um jantar. “De acordo com relatos de pessoas que estavam no local, a vítima chegou em casa e minutos depois estava trocando de roupa. [Em seguida], não se sabe por que, voltou ao carro”, momento em que foi assassinado, disse a delegada. “A deputada estava no terceiro andar quando ouviu os tiros”, pontuou a policial.
    No entanto, sobre outras possibilidades, como o da perseguição e da traição, Bárbara Lomba afirmou que ainda não escutou nada disso, a não ser na imprensa. “Esse relato de que estavam sendo perseguidos não está na delegacia. Isso foi falado para a imprensa, em entrevistas”, disse, e em seguida considerou que esses vazamentos atrapalham as diligências.
    Um dos filhos da pastora e deputada federal Flordelis (PSD) afirmou, na quinta-feira (20/06/2019), que uma das três irmãs suspeitas de envolvimento na morte do pai chegou a oferecer R$ 10 mil ao irmão Lucas dos Santos para matar Anderson do Carmo. Ainda de acordo com o jovem, Flordelis também participou da ação.
    O rapaz, que não teve a identidade revelada, disse também que Flordelis e as três irmãs chegaram a colocar remédio na comida do pastor e que isso seria a causa de seus problemas de saúde. Registrou, inclusive, que Anderson mostrou para o depoente uma ameaça de morte que tinha recebido em fevereiro deste ano.



    Escreva um comentário