Porto Velho/RO, 12 Dezembro 2019 16:16:35
    Informe Publicitário

    FNO Energia Verde: Basa lança crédito para energia renovável

    Linha de financiamento de projetos de geração de energia solar, o FNO Energia Verde proporciona o custeio de até 80% do valor do projeto .

    A-A+

    Publicado: 12/12/2019 às 16h16min

    Foto: divulgação

    Pagar conta de energia elevada é um problema que afeta milhares de famílias. Com o Laércio Miranda, de 69 anos, não seria diferente. Como empresário, proprietário da Cerâmica Belém, na cidade de Ji-Paraná, em Rondônia, ele tinha uma conta de R$ 28 mil mensal. No entanto, ao conhecer a linha FNO Energia Verde, do Banco da Amazônia, ele viu a chance de ficar livre do pagamento desta conta.

    Cliente do Banco da Amazônia desde 1986, quando realizou o primeiro financiamento para crescimento da sua empresa, Laércio viu no FNO Energia Verde a possibilidade de usufruir de uma forma de energia mais barata e, acima de tudo, sustentável.

    Em visita à 6ª edição da Rondônia Rural Show, o empresário conheceu a empresa Volt Brasil, que trabalha com projetos de implantação de placas solares para energia renovável. Em 2017, com seu projeto pronto, Laércio deu entrada no FNO Energia Verde, sendo liberado um valor, com o prazo de 120 meses para pagar, com carência de um ano.
    Mesmo não suprindo 100% da demanda da empresa, Laércio já sente uma grande economia financeira com o uso das placas. “Estou tão satisfeito, que vou investir mais R$ 800 mil em placas”, disse.

    “Minhas expectativas são grandes, mas já estou muito satisfeito com o Banco da Amazônia, e com o meu mais novo investimento, vou implantar mais placas na minha empresa, e também, nos imóveis que tenho na cidade de Ji-Paraná”, comentou Laércio Miranda.

    Ganhos para a proteção ao meio ambiente e para o bolso

    Linha do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), voltada especialmente para projetos de geração de energia solar, o FNO Energia Verde proporciona o financiamento de até 80% do valor do projeto, que inclui o equipamento e serviços de instalação, e pode ser acessado tanto por pessoas jurídicas, quanto por pessoas físicas. O Gerente Executivo de Produtos do Banco da Amazônia, José Alex Aires, aponta que qualquer pessoa pode acessar o programa. “O FNO Energia Verde é destinado a apoiar o financiamento da produção de energias renováveis para consumo próprio de empreendimentos, geração distribuída de energia e compensação na conta do cliente junto à concessionária de energia elétrica da região, sendo beneficiários as pessoas físicas produtores rurais e não rurais (residencial), ou jurídicas e as cooperativas de produtores rurais”.
    Como ponto de partida, o cliente precisa ter um orçamento elaborado por empresa especializada. De posse deste documento, é necessário procurar o Banco para simular o crédito e apresentar a proposta.

    No caso das pessoas físicas, em projetos residenciais, a aprovação da operação de crédito é mais rápida quando o cliente já possui cadastro no Banco e limite de crédito pré-aprovado.

    “Com o limite pré-aprovado, o cliente pode registrar a proposta de financiamento em uma de nossas agências, ficando a formalização do crédito condicionada à aprovação do parecer de acesso aprovado pela concessionária de energia local e a liberação do crédito é condicionada à declaração de recebimento do equipamento pelo cliente”, aponta o gerente.
    “Os ganhos obtidos com a geração da chamada ‘Energia Limpa’, que utiliza como fonte os recursos renováveis e sustentáveis, vão desde a proteção ao meio ambiente ao bolso do empreendedor, visto que o cliente contribui para a redução de emissão de carbono e reduz o valor da conta de energia com esse empreendimento”, finaliza o gerente.

    FNO ENERGIA VERDE PARA PESSOAS FÍSICAS

    Voltado para projetos enquadrados em resolução da ANEEL n. 482/2012 e suas alterações
    ∙ Destinado à implantação, melhoria e reforço de sistemas de micro e minigeração de energia, como placas fotovoltaicas, inversores, equipamentos e serviços.
    ∙ É válido para equipamentos nacionais listados no CFI BNDES e importados com Certificação Internacional ou do INMETRO.

    CONDIÇÕES

    • Financiamento de até 80% do valor do projeto.
    • Mínimo de R$ 10.000,00 e máximo de R$ 100.000,00.

    DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA

    Para cadastro no Banco da Amazônia:

    • Comprovante de identidade (RG, CNH, passaporte, entre outros)
    • Comprovante de endereço (conta de energia elétrica do mês)
    • Comprovante de renda (DIRPF)
    • Contato (e-mail e telefone)
    • Se for o caso, Certidão de Casamento acompanhado de Documento de Identidade do cônjuge

    Para formalizar a proposta:

    • Proposta comercial com os custos da solução;
    • Dimensionamento do sistema de geração de energia;
    • Projeto de micro ou minigeração de energia.

    Para formalizar o contrato:

    • Parecer de acesso emitido pela concessionária;
    • Dados do fornecedor (CPF ou CNPJ, nome para contato, telefone e e-mail).

    O QUE É NECESSÁRIO PARA PEDIR O FINANCIAMENTO?

    1.  Solicite, junto a uma empresa especializada, um projeto de sistema de geração de energia elétrica fotovoltaica que atenda às suas necessidades (micro ou minigeração). Atenção! O orçamento dos serviços de instalação deve corresponder a, no máximo, 20% do valor dos equipamentos.
    2.  Utilize o aplicativo “Simulador de Crédito FNO do Banco da Amazônia” para comparar os valores de implantação como referência. O aplicativo está disponível tanto no Google Play, quanto na App Store.
    3. Ao formalizar a proposta de financiamento em uma agência do Banco mais próxima, a agência verificará se o cliente possui limite de crédito pré-aprovado, caso negativo, faça ou atualize o seu cadastro, abra a conta corrente, pois os pagamentos são por meio de débito automático.
    4. Aprovado, o cliente retornará à agência para entregar o parecer de acesso e realizar a assinatura do contrato. Após essa etapa, já pode autorizar a entrega e instalação dos equipamentos.
    5.  Após a entrega dos equipamentos, a nota fiscal da venda à vista e a declaração de recebimento deverá ser entregue ao Banco da Amazônia para liberação do crédito na conta corrente do fornecedor.
    6.  Quando os equipamentos estiverem instalados, solicite a vistoria pela concessionária de energia. Se houver pendências, o cliente deverá saná-las.
    7. Após a instalação do medidor bidirecional e ativação do sistema pela concessionária de energia local, o documento emitido por ela deverá ser entregue ao Banco para que o restante do valor do projeto seja liberado na conta corrente da empresa responsável
      pela instalação.

    Fonte: Assessoria



    Deixe o seu comentário