Porto Velho/RO, 21 Julho 2021 12:19:29
Educação

Governador de RO anuncia retorno das aulas presenciais no dia 9 de agosto

Marcos Rocha falou que família poderá decidir se envia estudante à escola ou mantém ensino remoto.

Por Redação Diário da Amazônia
A-A+

Publicado: 21/07/2021 às 12h08min | Atualizado 21/07/2021 às 12h19min

Escolas seguirão funcionando remotamente aos estudantes que seguirem estudando em casa, segundo Marcos Rocha Imagem: Cristian Alves/Secom-RO

O governador de Rondônia, Marcos Rocha (sem partido), anunciou hoje a volta às aulas presenciais de forma parcial e não obrigatória aos estudantes das escolas da rede estadual de ensino a partir de 9 de agosto.

O anúncio foi feito em um vídeo divulgado ontem à noite nas redes sociais. De acordo com Marcos Rocha, de início, os professores terão a carga horária de aulas dividida entre “atividades presenciais e não presenciais”, para que não ocorra “sobrecarga de trabalho”.

“No próximo dia 9 [de agosto] terá início a execução do plano de retorno às aulas presenciais na rede pública estadual de ensino, elaborado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), com a cooperação de órgãos de controle. O plano respeita todos os protocolos sanitários, visando a segurança dos trabalhadores da educação e alunos”, diz Marcos Rocha.

Ainda segundo o governador rondoniense, as famílias e responsáveis poderão deliberar se preferem encaminhar os estudantes às aulas presenciais ou mantê-los em casa — “neste caso, as escolas permanecerão atendendo de forma remota”, disse.

“Aqueles que retornarem a rotina presencial, encontrarão escolas com novos lavatórios, EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), álcool liquido e em gel e tudo mais necessário para seguirmos enfrentando bravamente esse período diferente da nossa história”, explicou.

Pedido ministerial

O anúncio do governador aconteceu poucas logo após o ministro da Educação, Milton Ribeiro, cobrar um retorno dos estudantes e dos profissionais da educação às atividades presenciais.

“O Brasil não pode continuar com as escolas fechadas, gerando impactos negativos nesta e nas futuras gerações. Não devemos privar nossos filhos do aprendizado necessário para a formação acadêmica e profissional deles”, declarou o ministro em pronunciamento.

Na fala, Milton Ribeiro culpou estados e município pela suspensão das aulas presenciais, dizendo que, se dependesse do governo federal, todas as escolas já teriam sido reabertas.

Em abril de 2020, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que estados e municípios têm o poder de estabelecer políticas de saúde relacionadas à pandemia, inclusive questões de quarentena e a classificação dos serviços essenciais.

Até agora, 12 estados já reabriram as escolas públicas, segundo levantamento do jornal O Estado de S Paulo. Na rede privada de ensino, os estudantes já foram liberados para voltarem às aulas presenciais em pelo menos 22 estados e no Distrito Federal.



Deixe o seu comentário