Porto Velho/RO, 25 Março 2020 15:02:56
Economia

Governo garante suspensão da dívida do Beron

Marcos Rocha disse que o presidente Bolsonaro suspendeu o pagamento por 6 meses.

Por Redação Diário da Amazônia
A-A+

Publicado: 25/03/2020 às 15h02min

 

 

Foto: reprodução

A dívida  do extinto Banco do Estado de Rondônia (Beron), debitada todos os meses para a União cerca de R$ 17 milhões pagos ao Banco Central, será suspensa por um prazo de seis meses. A confirmação foi dada pelo governador Marcos Rocha. Em reunião, por videoconferência, com o presidente da República, Jair Bolsonaro e a maioria dos governadores do Brasil, foi anunciado um pacote de ações destinado a combater o novo coronavírus e para contribuição à economia dos estados, nesse momento de crise.

O presidente listou aos governadores outras iniciativas para minimizar a crise econômica decorrente da pandemia do novo coronavírus no Brasil, como a transferência de R$ 8 bilhões de recursos para fundos de saúde estaduais e municipais. Segundo já anunciado por Bolsonaro, o pacote de medidas em apoio aos estados e municípios, que soma R$ 88,2 bilhões, foi destinado para reforçar esse enfrentamento.

A principal reivindicação do governador Marcos Rocha ao presidente foi a suspensão da longa dívida do extinto Beron onde todos os recursos serão somados aos esforços para ações em defesa da população, visando o enfrentamento da crise instalada com a pandemia do coronavírus. “Nossa proposta apresentada ao presidente foi a suspensão temporária dessa dívida que se prolonga há anos. O presidente Bolsonaro acenou como positivo e suspendeu esse pagamento por 6 meses e também falou de recursos que estarão sendo transferidos para os estados”, informou o governador.

Antes da videoconferência com o presidente, o governador esteve em reunião com a bancada federal de Rondônia, onde novamente debateram a questão e os parlamentares devem votar a destinação de R$ 22 milhões em emendas para serem aplicas no Estado. O governador também pontuou as transferências do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Também foi anunciado orçamento Assistencial Social de R$ 2 bilhões, bem como renegociação de dívidas de estados e municípios com bancos da União.
Após destacar o pacote financeiro e apoio do governo federal dado aos estados do país, o governador de Rondônia definiu ações que não podem demorar, considerando que quanto mais cedo as colocar em prática será possível conter a proliferação do vírus em Rondônia e em todo o país. “Temos casos em Rondônia e não podemos ser irresponsáveis de não agir firmemente para proteger vidas. Tudo que estamos fazendo é com base no cenário de possibilidades porque não temos certeza se o vírus vai avançar”, disse o governador.

Com informações da Secom



Deixe o seu comentário