porto velho - ro, 04 Outubro 2019 08:16:41
    Cidades

    Governo lança campanha do Outubro Rosa

    O câncer já matou 618 mulheres em Rondônia

    Por Assessoria
    A-A+

    Publicado: 04/10/2019 às 08h16min

    O Governo de Rondônia abre nesta sexta-feira (4), no auditório da Secretaria de Saúde (Sesau), a campanha do Outubro Rosa e Outubro Roxo, de prevenção e combate ao câncer de mama, de colo uterino e de sífilis, com a missão de conscientizar a população feminina, especialmente, sobre a importância da realização dos exames preventivos da doença (câncer), que já matou 618 mulheres em Rondônia (casos notificados) nos últimos 5 (cinco) anos. Continuar lendo

    De acordo com Francisca Odalice da Silva, da Coordenadoria Doenças Crônicas da Sesau, o projeto reúne em parceria também a Agência de Vigilância de Saúde do Estado (Agevisa), com atribuições amplas, a começar pelo comando desta campanha do Outubro Rosa e Outubro Roxo, que vai levar ao Condomínio Orgulho do Madeira, nos dias 14 e 15 próximos, das 8h às 18h, um conjunto de atividades direcionadas ao tema, e ainda, a Carreta do Hospital do Câncer, que fará exames e atendimentos médicos.

    Ao lado da assistente social Stella Maris, da Coordenação de Sífilis da Agevisa, ela explicou que neste dia, a Carreta vai realizar os exames preventivos de câncer de mama (mamografia), colo uterino, atendimento médico, testes rápidos para HIV, sífilis, hepatites B e C, orientações dirigidas, imunizações (atualização da carteira de vacina para crianças e adultos), além dos atendimentos de caráter assistencial da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Seas) e, ainda, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), com orientações sobre agricultura familiar.

    CÂNCER EM RONDÔNIA

    Para Francisca Odalice, a questão fundamental é a conscientização das pessoas sobre essas doenças, eis que todas elas, se detectadas a tempo, são totalmente passíveis de cura. Daí a importância desse projeto do Governo de Rondônia realizado em parceria com os órgãos da saúde, que visa conscientizar as pessoas de modo geral, prevenir e detectar o aparecimento dessas doenças em fase inicial para realização de um tratamento eficaz.

    Segundo os dados da Agevisa apresentados por Stella Maris, com exceção do ano de 2017, houve uma queda, pequena, mas gradativa nas ocorrências de óbito provocados pelo câncer de mama em Rondônia, com 79 casos em 2015 e 2016, 82 em 2017, 70 em 2018, e 42 até setembro de 2019. Pela ordem, os municípios com maior índice de ocorrências de óbitos, de acordo com o quadro da Agevisa são Porto Velho, Ji-Paraná, Cacoal e Ariquemes.

    Os dados da sobre o número de óbitos provocados pelo câncer do colo uterino parecem ser ainda mais preocupantes, eis que atende a uma escala de crescimento gradativo (com pequenas oscilações) das ocorrências, com 50 mortes de mulheres em 2015, 60 em 2016, 58 em 2017, 55 em 2018 e 43 até setembro deste ano (2019), tendo, pela ordem, os municípios de Porto Velho, Ariquemes, Cacoal e Ji-Paraná na ponta com os maiores índices de mortes por câncer do colo uterino.

    NÚMEROS DE SÍFILIS EM RONDÔNIA

    De acordo com a assistente social Stella Maris, da Coordenação de Sífilis da Agevisa é fundamental a adoção de todas as orientações e medidas de caráter preventivo, principalmente a realização de exame pré-natal para as gestantes. Segundo ela, em 30 minutos é possível fazer os testes rápidos que podem detectar doenças como sífilis, hepatites e outras, todas passíveis de cura ou tratamento. “A gestante que faz o tratamento em tempo evita a transmissão da doença para o bebê”, avisou.

    Ela apresentou os números da sífilis em Rondônia, tabulados pela Agevisa, referentes a 2018 e 2019, sendo que os números deste ano contemplam apenas o período de janeiro a setembro. De acordo com esses dados, a sífilis congênita (transmitida da mãe para o bebê) registrou 116 casos em 2018 contra 55 casos até setembro deste ano; a sífilis em gestantes atingiu nada menos de 391 casos em 2018, e preocupa os serviços de saúde do Estado, visto que já atinge 262 mulheres até setembro de 2019. Igualmente preocupante é o número da sífilis adquirida (transmitida principalmente pelas relações sexuais), que atinge a homens e mulheres, e que afetou 1.148 pessoas em 2018 e já registrou 614 casos até setembro de 2019.

    Para ambas coordenadoras da Sesau e da Agevisa, a intenção do Governo do Estado é reduzir esses números, para amenizar o sofrimento das famílias e também diminuir os custos do Estado com internações e tratamento dessas doenças. “Por isso queremos convidar a comunidade do Orgulho do Madeira para que compareçam e participem das atividades do Outubro Rosa e Outubro Roxo, e levem suas crianças e façam seus exames”, disse Stella Maris, que anunciou novas atividades da campanha para o próximo dia 19 de outubro, Dia Nacional de Prevenção da Sífilis.



    Escreva um comentário