Porto Velho/RO, 18 Dezembro 2020 09:22:12

CarlosSperança

coluna

Publicado: 18/12/2020 às 09h21min | Atualizado 18/12/2020 às 09h22min

A-A+

Hildon Chaves e Marcos Rocha prometem disputa acirrada ao Palácio Rio Madeira, em 2022

Vociferar ou parlamentar Nos EUA, dois partidos disputam as eleições majoritárias. O Partido Republicano é democrático, ou ao menos..

Vociferar ou parlamentar

Nos EUA, dois partidos disputam as eleições majoritárias. O Partido Republicano é democrático, ou ao menos foi, antes de Donald Trump, quando respeitava a Constituição e os direitos humanos. E o Partido Democrata é republicano, já que não propõe outro tipo de formação do Estado além da República.

Para ficarem ainda mais parecidos, os candidatos radicais de cada partido eram escanteados durante as eleições primárias, nas quais venciam os mais moderados e conciliadores, os tipos de gestores que melhor conseguem unir uma nação. Na Europa, há o caso de Winston Churchill, que na juventude era um teimoso conservador ignorado e na maturidade se tornou um liberal com grande capacidade de diálogo, condição que o levou à história.

Quanto mais os líderes gritarem e insultarem, evitando dialogar e buscar consensos, menor será a possibilidade de unir suas comunidades em torno de objetivos comuns a todos. Um mandato pode ser usado por um líder para vociferar, mas se preferir parlamentar terá mais chances de sucesso.

No fundo, o que conta é a eficiência, como no caso do recentemente falecido ex-presidente uruguaio Tabaré Vasquez. Social-democrata, conciliador de voz suave, venceu crises e limitações. Certo que ele governou antes da pandemia, quando era fácil conversar bastante antes de tomar decisões. Enfim, o que ficará de qualquer gestão é se teve sucesso ou fracassou.

……………………………………………………………..

Novos prazos 

Previstas para serem entregues antes do Natal 2020, a ponte do Abunã, ligando Rondônia ao Acre e a urbanização e reforma das dependências da Estrada de Ferro Madeira Mamoré foram chutadas para os primeiros meses de 2021. Com o inverno amazônico, que é a nossa temporada de chuvas, chegando ao seu apogeu, as dificuldades aumentam principalmente na pavimentação dos acessos da ponte no lado rondoniense.

Dívida da União 

No maior desastre natural ocorrido em Rondônia, provocado pelas cheias de 2014, o governo federal assumiu uma série de compromissos com a prefeitura de Porto Velho – na época com o prefeito Mauro Nazif – e acabou não cumprindo. Eram desde barreiras de contenção no Rio Madeira para proteger a cidade de eventuais enchentes futuras, aos distritos de Calama e São Carlos que seriam transferidos para lugares mais altos, etc, etc. A dívida foi cumprida apenas no setor habitacional, já que milhares de casas populares foram entregues nos anos seguintes.

Bem enrascado 

O deputado estadual Geraldo da Rondônia que já estava enrascado com a Polícia Federal por conta de evasão fiscal, acabou se envolvendo num escândalo em Ariquemes querendo forçar a barra, com assédio sexual a uma conhecida dançarina. Ele negou a intenção de maltratar mulher em nota oficial, mas ninguém acreditou e a sociedade pede sua punição, através do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher.  O parlamentar, como se vê, está mais sujo do que poleiro. 

Mãos a obra

 Obras em pleno inverno amazônico quando os prefeitos paralisam tudo alegando chuvarada? Permanência na capital em pleno dezembro? É o que está ocorrendo em Porto Velho, num claro indicio que o prefeito reeleito Hildon Chaves já se prepara para a peleja de 2022. O governador Marcos Rocha, recuperando-se do covid, também não está dando mole a concorrência, e já iniciou um vigoroso programa de regularização fundiária pelo estado. 

Projeto penoso

 Os vereadores têm um projeto penoso para votar e que está gerando encrenca em vários municípios. Trata-se do reajuste dos vencimentos de prefeitos, vices e vereadores a partir de 2021. Seja em Ji-Paraná, Pimenta ou Vilhena o aumento é polêmico em tempos de pandemia. Lembrando que este projeto também está em pauta na Câmara de Vereadores de Porto Velho que até agora não divulgou valores e o hábito aqui é votar a matéria na calada da noite para evitar confusão.

Via Direta

*** No Brasil varonil, da impunidade e da injustiça social, são encontradas disparidades grotescas. Na Bahia foi descoberto motoristas ganhando o salário de R$ 100.000,00 graças a penduricalhos criados em tribunais*** Um Natal com restrições em 2020, no ano da peste, um final de ano triste para a população rondoniense*** O deputado federal Lucio Mosquini, provável governadorável do MDB trabalha para ampliar a regularização fundiária emRondônia *** Como se sabe, são mais de 100 mil propriedades a espera da titulação*** Não existe crise para os imóveis de luxo em Porto Velho. Os condomínios da moda estão repletos de novas construções com casas modernas e equipadas de até de R$ 4 milhões. Ô loco!


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas