porto velho - ro, 12 Setembro 2019 20:41:00
    Política

    Hildon Chaves pede apoio de Bolsonaro para setor produtivo

    O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, acompanhado de empresários de Rondônia e da Bolívia se reúne com o presidente da república,..

    Por Assessoria
    A-A+

    Publicado: 30/07/2019 às 10h39min

    O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, acompanhado de empresários de Rondônia e da Bolívia se reúne com o presidente da república, Jair Bolsonaro, nesta terça-feira (30/7), às 10 horas, em Brasília (DF). Um dos principais assuntos a serem tratados durante a audiência, é o desenvolvimento econômico na região de fronteira entre os dois países.

    No caso específico de Porto Velho, Hildon Chaves vai pedir uma atenção especial para a Ponta do Abunã, que fica distante da capital do estado e próximo da fronteira com o Acre, Bolívia e o Amazonas, especificamente com relação a agricultura e pecuária. “Queremos que seja uma região próspera e que a população tenha melhor qualidade de vida”, pontuou o prefeito.

    A prefeitura tem projetos para o desenvolvimento do setor produtivo na região, através do programa Pró-calcário. É que devido a acidez do solo, um fator limitante para os produtores, faz-se necessário corrigi-lo com aplicação do mineral. Porém, devido o produto vir de longe, de outros municípios de Rondônia e até mesmo do Mato Grosso, o valor do frete fica muito caro e inviabiliza o fomento da produção.

    Transporte

    Por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Semagric), o Município se propõe a realizar o transporte do calcário gratuitamente, mas, para isso, necessita do apoio do Governo Federal. Até porque, de acordo com a Semagric, seria necessário construir um grande galpão na região da Ponta do Abunã (um ponto de logística) para depositar o produto, de onde seria levado pelos agricultores e pecuaristas às suas propriedades rurais.

    Estudos indicam que, com a aplicação do mineral, haverá melhoria nas pastagens e, consequentemente, maior produção de carne e de leite. Serve, ainda, para fomentar a produção de soja, do café e a piscicultura, dentre outras.



    Escreva um comentário