porto velho - ro, 21 Setembro 2019 10:36:21
    Polícia

    Homem que executou mulher em Ouro Preto é preso em Machadinho

    Edivan Fialho da Silva é acusado de matar Ligiane Rodrigues com 4 tiros na noite de 1º de julho em Ouro Preto D´Oeste

    A-A+

    Publicado: 18/09/2019 às 13h44min | Atualizado 18/09/2019 às 13h45min

    A Polícia Civil prendeu na última terça-feira (3) em Machadinho d’Oeste Edivan Fialho da Silva, vulgo “Acreano”, 32 anos, que era procurado pela polícia de Ouro Preto do Oeste pelo assassinato de Ligiane Rodrigues da Silva, 34. A execução à bala foi
    registrada na noite de 1º de junho no Jardim Novo Estado, à Rua Guaporé.

    Ligiane foi surpreendida dentro de casa por Edivan que ao se certificar de que se tratava dela iniciou os disparos. Ela correu para a rua, ele a perseguiu e a executou com quatro tiros e, em seguida, fugiu em uma moto Honda Bros que dava cobertura.

    Oito dias após o homicídio, a equipe designada pelo delegado Niki Alves Locatelli para apurar o caso já tinha identicado Edivan como o autor dos disparos, e com auxílio da polícia de Ji-Paraná conseguido apreender a motocicleta Honda Bros plotada na cor laranja, mas que tinha a cor preta e foi roubada em Ji-Paraná.

    Maria de Fátima foi morta em Ji-Paraná

    Edivan prestou depoimento na Delegacia de Machadinho e admitiu ter matado Ligiane Rodrigues sob a alegação de que, além de ter executado a sua companheira Maria de Fátima Oliveira na noite de 29 de maio em Ji-Paraná, ela teria ordenado um atentado contra a vida dele em Ji-Paraná. Maria de Fátima foi assassinada em um bar seu localizado no Bairro Novo Ji-Paraná, à Rua Rita Carneiro Rios por uma dupla que chegou ao local de motocicleta. Edivan conviveu maritalmente por 2 anos e 4 meses com Maria de Fátima.

    Ainda em depoimento, Edivan disse que Ligiane teria tido uma desavença com uma filha de sua mulher que cumpre pena no Presídio de Ji-Paraná onde o marido da vítima que ele matou também cumpre pena e, a partir de então, Maria de Fátima foi assassinada.

    O homicida confesso disse ainda que agiu sozinho, e que nem ele ou sua mulher faziam parte de nenhuma facção conforme foi divulgado na semana que o crime ocorreu. Sobre a motocicleta roubada que ele usou para executar Ligiane, Edivan disse que comprou o veículo em abril e pagou R$ 3,5 mil. Ele também afirmou que o revólver calibre 38 que ele utilizou para matar Ligiane foi vendido por R$ 2 mil na cidade de Teixeirópolis.

     

     



    Escreva um comentário