porto velho - ro, 19 Março 2019 00:21:01

Aldo José

coluna

Publicado: 08/01/2019 às 15h10min | Atualizado 09/01/2019 às 16h44min

A- A+

Infertilidade: de quem é a culpa?

"Homem ou mulher: quem é o maior culpado pelos casos de infertilidade?"

Segundo um estudo divulgado em um congresso europeu sobre reprodução humana, nos últimos anos a concentração de espermatozoides no sêmen baixou de 113 para 66 milhões por mililitro. Em 2010, um trabalho elaborado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), apontou declínio da fertilidade masculina com base nos parâmetros exibidos por espermogramas.

Foto: Mdemulher

Causas da baixa de fertilidade

Alimentação repleta de toxinas

Aventa-se a hipótese de que o problema esteja ligado ao estilo de vida e à alimentação. Exposição à agrotóxicos, pesticidas, e contaminação por toxinas (por exemplo, as liberadas sobre os alimentos por alguns tipos de plástico) também contribuem para isso.

Idade avançada

O mesmo estudo da OMS também comprovou que a fertilidade é afetada pelo envelhecimento. Em especial homens acima de 50 anos apresentam diminuição quantitativa e qualitativa dos parâmetros seminais. Está comprovado cientificamente que o aumento da incidência de determinadas doenças no bebê, como autismo, esquizofrenia e síndrome de Down, está ligado ao sêmen de homens com mais de 50 anos – devido ao elevado grau de deterioração dos espermatozoides.

Com frequência ocorrem abortos espontâneos em decorrência da idade avançada do pai ou da mãe.

Consumo de drogas anabolizantes

Uma série de substâncias usadas por muitos desportistas ligados ao fisiculturismo, como esteroides anabolizantes, interferem na capacidade reprodutiva.

Como diagnosticar a infertilidade

Primeiramente, o homem e a mulher devem comparecer ao consultório de um ginecologista ou esterileuta – médico especialista em reprodução humana. Exame muito simples, o espermograma coleta espermatozoides, e para realizá-lo o homem deve estar de dois a sete dias sem ejacular.

A mulher precisa passar por uma investigação mais ampla, há necessidade de verificar, por exemplo, se as trompas de Falópio estão desobstruídas e se a ovulação está normal.

Culpabilidade masculina e feminina na infertilidade

Em cerca de 30% dos casos, a infertilidade ocorre devido a problemas nos espermatozoides; em outros 30%, à transtornos na mulher, como, trompas uterinas bloqueadas, endometriose, ou dificuldade para ovular; já em outros 30% tanto homem quanto mulher precisam se tratar, por exemplo, aquele tem baixo número de espermatozoides e esta tem endometriose leve ou moderada.

Os 10% restantes dependem de um maior avanço da medicina para que lhes seja descoberta a causa. Nessa circunstância, o casal deverá ser submetido a todas as etapas dos tratamentos disponíveis, do mais básico ao complexo.

Tratamentos disponíveis

É impossível estabelecer um número exato de etapas terapêuticas que cada casal terá de superar. Em algumas situações, bastam orientações comportamentais para que o casal tenha relações sexuais no período fértil da mulher, e em outras, pode ser necessário indução da ovulação, inseminação artificial, ou fertilização in vitro.

Variações da fertilização in vitro

Na fertilização in vitro, pode-se recorrer ao método convencional ou ao ICSI (Intracytoplasmic Sperm Injection), em que cada espermatozóde é injetado dentro de cada óvulo. Desse modo, é possível obter a fecundação em ambiente laboratorial.

Na técnica Super ICSI, o processo de seleção dos espermatozoides é ainda mais específico, e com isso é possível engravidar até em casos insolúveis anteriormente.

Sêmen sem espermatozoides

Diante da inexistência de espermatozoides no líquido ejaculado, é possível extraí-los diretamente dos testículos por meio de punção. Uma alternativa consiste em retirar fragmentos testiculares, analisá-los no microscópio, localizar os espermatozoides e, então, penetrá-los no óvulo.

Eficácia dos tratamentos para infertilidade

Em poucas áreas da medicina é possível obter resultados tão satisfatórios como os apresentados pelos tratamentos para infertilidade. Desde que o casal siga todas as recomendações, a chance de se obter uma gravidez bem sucedida chega a 95%.

Veja mais: https://www.leetdoc.com/br/


Escreva um comentário