Porto Velho/RO, 30 Junho 2020 10:04:54

J. Nogueira

coluna

Publicado: 01/06/2018 às 18h32min

A- A+

Informe Central

QUEDA A prefeitura de Ji-Paraná divulgou esta semana que o Executivo está em alerta. De acordo com a secretaria de Finanças, a..

QUEDA

A prefeitura de Ji-Paraná divulgou esta semana que o Executivo está em alerta. De acordo com a secretaria de Finanças, a preocupação está na projeção de queda entre 12% e 14% na arrecadação nos próximos meses. Em maio, o índice de repasse do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), teria sido 6,82% menor em relação a 2017, e pode cair mais ainda, agora, em junho. Para tentar equilibrar as contas, o prefeito Marcito Pinto (PDT), determinou a redução de todas as despesas com insumos, luz, água, telefone, diárias e combustível. A prioridade é manter em dia a folha de pagamento dos servidores e fornecedores.

ALÍVIO

Com o fim dos protestos organizadoS pelos caminhoneiros, em todo o território nacional, e logicamente, também em Rondônia, espera-se que os problemas causados sejam resolvidos nos próximos dias. Os caminhoneiros estão rodando, mas a falta de combustível, gás de cozinha, água, álcool, produtos de primeira necessidade ainda é realidade em alguns pontos de Ji-Paraná e de muitas outras cidades do Estado. Quem mais sentiu foram os condutores que ainda enfrentam longas filas em busca de abastecimento.

ALÍVIO II

Alívio também para os pacientes que precisam de doadores de sangue em Ji-Paraná e outros municípios da região central do Estado. Em uma semana de protestos, a queda na presença de doadores voluntários foi mais de 50%. Antes, 25 bolsas eram coletadas diariamente, esse número caiu para 10. Para não deixar a geladeira zero de sangue, servidores do Hemocentro tiveram que ‘apelar’ para as empresas, formando parceira com as prefeituras no transporte dos doadores, e ainda colocar à disposição dos voluntários jiparanaenses, o veículo do órgão, além de conseguir apoio com a imprensa local. Valeu o esforço concentrado!

RADICAL

Ainda durante os protestos, e muito possivelmente com medo de sofrer retaliações por parte dos caminhoneiros, um determinado proprietário de um posto de combustível da região central do Estado, teve a infelicidade de praticamente expulsar seus clientes, mandando na cara de pau os mesmos desocupar seu pátio porque estava apoiando o referido movimento. A maioria saiu indignada, sem saber o porquê de tanta falta de educação. Um motorista presente ao local e que preferiu não ser identificado, teria respondido ao proprietário: “Eu vou embora, o movimento vai acabar e, depois aqui, não volto mais”. Que coisa!

REVOLTADO

Já um vereador, também da região central de Rondônia está tentando identificar uma pessoa que lhe criticou por ter apoiado os protestos dos caminhoneiros. O edil se disse constrangido e que pretende processar o autor das postagens. Na verdade, no conteúdo não consta nada de anormal. A pessoa simplesmente deixou transparecer opinião contrária ao apoio do citado dovereador a um movimento que terminou em decorrência de violência. Um exemplo: A morte de um caminhoneiro no Cone Sul do Estado, supostamente praticada por alguém envolvido direto com o movimento.

MUDANÇAS

Em uma determinada prefeitura, o chefe do Poder Executivo já pensa em fazer mudanças em parte do primeiro escalão. Ele sabe ser necessária a troca de algumas peças, caso contrário, poderá ter dor de cabeça com o Tribunal de Contas e Ministério Público Estadual (MPE). O prefeito já teria confidenciado para assessores mais próximos que essa decisão está mais perto que muitos imaginam. Em um das peças, dois políticos com cargos eletivos estariam iniciando uma tentativa de nomear seu menino prodígio ‘Juninho’. Será que conseguirão?

 


Deixe o seu comentário

Arquivos de colunas