Porto Velho/RO, 18 Setembro 2020 08:52:58

CarlosSperança

coluna

Publicado: 18/09/2020 às 08h52min

A-A+

Jogos de raposas mostram que tomaram decisões certas visando eleições 2022

Exemplo de confiança Céu e inferno estão presentes na mesma terra: agentes criminosos levam riquezas para seus próprios paraísos e aos..

Exemplo de confiança

Céu e inferno estão presentes na mesma terra: agentes criminosos levam riquezas para seus próprios paraísos e aos povos da floresta sobram a escassez e o sofrimento. Com crises econômicas seguidas e uma pandemia de permeio, o número de milionários aumentou no mundo como também cresceram a pobreza e a revolta dos povos contra os efeitos da crise.

Nesse mundo tão contraditório, três fatores são imprescindíveis: a solidariedade humanista, a responsabilidade social e a confiança na superação. Um exemplo vem da união de forças da campanha Seja Legal com a Amazônia, parceria da Associação Brasileira do Agronegócio, Instituto de Pesquisa Ambiental, Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável, Instituto Ethos, Instituto do Homem e Meio Ambiente, Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável e Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura.

Já um exemplo de confiança na superação vem do turismo: em novembro, o navio Aqua Nera trará dezenas de pessoas interessadas em uma viagem de 35 dias por mais de 17 mil quilômetros entre a cidade de Ho Chi Minh (Vietnã), onde a embarcação foi construída, e Belém, no Pará. É um grande exemplo de confiança, dos promotores e dos turistas. De tudo pode-se tirar uma boa lição: se os brasileiros fizerem a sua parte, os estrangeiros farão a sua. Investidores e turistas, por exemplo.

…………………………………………………….

Jogo de raposas

No jogo das raposas políticas de Porto Velho, que catimbaram o jogo até o final das convenções, constato que os deputados federais Leo Moraes (Podemos) e Mauro Nazif (PSB) que desistiram do pleito, tomaram as melhores opções para quem tem ambições para 2022. Caso eleitos a prefeitura teriam dois invernos pela frente (chuvas e alagações até a medula), a falta de recursos causados pela pandemia e com certeza sairiam chamuscados do Prédio do Relógio prejudicando suas pretensões futuras ao Senado e Governo.

Opção arriscada 

Já, se tratando do prefeito Hildon Chaves (PSDB), aquele que era contrário a reeleição e desistiu da desistência, vejo uma aposta arriscada no seu projeto, perdendo ou ganhando o pleito. Mesmo ganhando – o que não se acredita os meios políticos que vê o alcaide  uma presa fácil no segundo turno para a oposição – teria como já disse antes, dois invernos pela frente quando se atiram impropérios até as mãezinhas dos alcaides na capital.  E perdendo, pode descartar de vez o sonho de alcançar o Senado ou o CPA em 2022.

Muitos gravetos

Mas a indicação de Hildon foi um jogo interessante para o ex-senador Expedito Junior (PSDB) que vai disputar o Senado em 2022 e para o atual senador Marcos Rogério (DEM) que já trata da peleja ao governo do estado. Vão ficar sem um predador forte na base, que até então tinha um discurso coerente sobre reeleição – sendo que coerência é artigo raro por aqui – e agora terão uma preocupação a menos. No jogo de astucia, encheram de gravetos o prefeito tucano. Gravetos aceitos, ele se atirou a difícil e desgastante aventura da reeleição.

Sai fortalecido 

Independente do resultado do pleito, vejo o deputado federal Leo Moraes – que foi o melhor vereador da capital, o melhor deputado estadual e é o deputado federal mais consistente da bancada rondoniense – fortalecido. Não sucumbiu ao apoio dos Raupps e ao apelo dos dólares descobertos da Lava Jato para ser escada para rapinadores, já que ganhando a eleição cederia sua cadeira aos Raupps. Soube se esquivar do confronto com Vinicius Miguel (Cidadania) que corria na mesma faixa de votos e que poderia rachar sua base. Coerente, mais maduro, está nascendo aí um senador, ou um futuro governador.

Briga feia

 Viram por aí, pela nossa aldeia, uma faixa dizendo “Diga Não ao Traficante”. Pelo que eu entendi, falando daqui e ali, tem um candidato a prefeitura de Porto Velho ligado ao crime organizado. Quem será o candidato do pó?  Acho que vai acabar dando briga feia torcida brasileira. É jogo perigoso. Lembrando aos caras-pálidas do Olaria ao Tancredo, do Porto Cristo ao Monte Sinai, que o crime organizado sempre elege vereadores e deputados nestas bandas, mas nunca ousou entrar na disputa a prefeito de Porto Velho ou ao governo do estado. É coisa de louco!

………………………………………………………..

 

Via Direta

*** Preparem-se para grandes clássicos regionais nas eleições 2020 em Rondônia*** Na capital, Hildon Chaves x Vinicius Miguel, o herdeiro dos votos de Leo Moraes*** Em Vilhena, Rosane Donadon x Eduardo Japonês, em Cacoal Glaucioni Nery x deputado Fúria, em Jaru Junior Gonçalves x Amauri dos Muletas, em Ariquemes Tziu Jidaias x Foladorzinho*** O segmento bolsonarista vai rachado para as eleições na capital, de um lado o que prejudica as pretensões do sargento Eyder Brasil (PSL), de outro o candidato do Avante Breno Mendes  que teria o apoio do governador Marcos Rocha***Aliás, os postulantes bolsonaristas estão em pé de guerra*** Com a confirmação  da candidatura do chefe  prefeito Hildon Chaves, Thiago Tessari retirou a sua, mas Lindomar Garçon  outro aliado de Hildon, permanece na peleja *** É base rachada na coalizão, mas compensada com a adesão do DEM. 

 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas