Porto Velho/RO, 19 Outubro 2021 17:05:20
Sociedade

Jovem injeta mercúrio no próprio corpo para “virar um X-Men” e acaba no hospital

Caso foi relatado em estudo científico

Por CT
A- A+

Publicado: 19/10/2021 às 17h01min | Atualizado 19/10/2021 às 17h05min

Hugh Jackman no papel de Wolverine (Divulgação / Marvel / Disney)

Em 2014, um adolescente de 15 anos tomou uma decisão perigosa inspirado em um dos personagens da saga X-Men: injetar mercúrio no próprio corpo para desenvolver os superpoderes.

O caso foi relatado em um estudo científico e, segundo os autores, o garoto contou que havia acabado de assistir ao filme X-Men Origens: Wolverine e gostou de um personagem que se chamava Mercúrio que, na verdade, aparece apenas nos quadrinhos. Quando chegou ao hospital, ele contava com ulcerações no braço há cerca de dois meses, que não apresentavam melhora.

O jovem teria retirado a substância de um termômetro e de um esfigmomanômetro, usado para medir pressão arterial, que estavam quebrados. Além disso, ele também permitiu ser picado por aranhas para tentar ter os poderes de outro herói, dessa vez o Homem-Aranha. A injeção de mercúrio aconteceu em vários locais do braço, segundo os médicos, e por sorte o líquido foi injetado somente de forma subcutânea e não nas veias.

Exames de urina mostraram níveis elevados de mercúrio, mas nenhum dano grave foi relatado, apenas lesões no braço que foram cortadas para a remoção do líquido.

Os cortes mostraram áreas hemorrágicas e necróticas, e caso o mercúrio tivesse entrado na corrente sanguínea, os danos seriam muito maiores. Após a remoção da substância e de tecido morto, o jovem deixou o hospital e se recuperou.

Os médicos envolvidos no caso disseram que já aconteceram casos parecidos, como o de um boxeador que teria recebido uma injeção de mercúrio metálico para ter uma melhor performance, e de homens que acreditavam que a substância os ajudaria a ter um melhor desempenho sexual. No caso do garoto “X-Men”, os cientistas dizem que seu estado psiquiátrico estava normal e que se tratou de uma decisão incomum. (Canaltech)



Deixe o seu comentário