porto velho - ro, 11 Outubro 2018 16:12:21
Geral

Jucer amplia atendimento no interior

Até abril deste ano, a Jucer deverá estar presente em todos os municípios do Estado.

Por Assessoria
A- A+

Publicado: 01/03/2018 às 06h50min | Atualizado 28/02/2018 às 19h10min

A interiorização do atendimento da Jucer tem facilitado a abertura de novas empresas (Foto: Daiane Mendonça/Secom)

Parcerias com as prefeituras fazem funcionar melhor e dentro da modernidade unidades de atendimento da Junta Comercial de Rondônia no interior do Estado. “Dificuldades de acesso eram injustificáveis para o comércio crescer. Atualmente é o Estado que tem que descer ao cidadão e tratá-lo de Sua Excelência, pois é ele quem gera empregos, paga impostos e sustenta a nossa economia”, afirmou o presidente da Junta Comercial de Rondônia (Jucer), Vladmir Oliani.

O presidente estimou a entrega de mais 28 unidades municipais até abril deste ano. “Vamos inteirar 100% de cobertura e passaremos a ser o primeiro Estado brasileiro a ter junta comercial atuante em todos os municípios”, prevê. Conforme Oliani, essa melhoria coincidiu com a Operação Teixeirão, quando o setor comercial também foi beneficiado. Somente em Porto Velho, a Jucer totalizou 21 mil atendimentos em 2017, três mil a mais do que no ano anterior, quando alcançou 18 mil. No biênio 2016-2017 Rondônia tinha 63,1 mil estabelecimentos comerciais e atualmente 63,9 mil, obtendo 1,26% de crescimento.

Os serviços passaram de 53,8 mil para 60,2 mil, no percentual de 1,38%. A indústria havia registrado 8,7 mil empresas, passando a 9,5 mil, com incremento de 1,09%. O agronegócio tinha 3.113, chegando a 3.399, com 0,89%. E o setor financeiro abriu 1,5 mil negócios, alcançando 1,6 mil, no percentual de 1,20%. Atualmente, processos e certidões são expedidos pela Junta Digital.

O número de empresas cresce, no comparativo com anos anteriores. Dois anos atrás, a ferramenta denominada Empresa Fácil facilitou a integração dos 52 municípios com cinco órgãos governamentais. Com o projeto da Infovia Rondônia, a Jucer passou a ser referência na prestação de serviços públicos. Além de 11 escritórios regionais, a Jucer atende regiões longínquas e até há pouco tempo isoladas do sistema comercial do Estado. Para o o secretário-geral Roger Ribeiro, a avaliação do grau de satisfação é o termômetro da melhor prestação de serviços. Segundo ele, isso reflete os cuidados na desburocratização. “Se em São Paulo o comerciante espera mais de cem dias para ser autorizado a abrir as portas de seu estabelecimento, em Rondônia esse prazo pode levar até dez minutos”, destaca. Segundo o presidente Oliani, a diferença implica considerar que lá o poder público chega a ser visto como inimigo porque aplica multas excessivas e pune o empreendedor, enquanto aqui, ele é o grande aliado.



Escreva um comentário