porto velho - ro, 17 Julho 2019 17:13:54

José Luiz

coluna

Publicado: 28/10/2018 às 07h43min

A- A+

Lideranças ruralistas do Brasil velho clamam por mudanças

O campo também exige mudanças! Lideranças ruralistas, de norte a sul, de leste a oeste deste Brasil velho sem porteira clamam por..

O campo também exige mudanças!

Lideranças ruralistas, de norte a sul, de leste a oeste deste Brasil velho sem porteira clamam por mudanças e prometem sufragar nas urnas hoje, um nome que represente os anseios desta classe que ao longo dos últimos tempos manteve a economia de pé. Um exemplo típico vem dos campos de Rondônia, onde a soja, o milho, o café, o leite, o peixe a carne, sustentaram o desenvolvimento regional nestes tempos de crises agudas.

     Não precisa ter medo!

Toda a mudança de uma maneira ou de outra é sempre benéfica”, já dizia o meu professor de redação e expressão, Luiz Toquetto, um descendente de italianos que aportaram no Brasil em 1913 fugindo da Primeira Guerra Mundial. Toquetto, um filósofo na verdadeira acepção da palavra, defendia que as verdadeiras mudanças surgem no seio da sociedade, por meio de novas idéias e propostas, que na maioria das vezes não são bem aceitas pelas velhas raposas retrógradas e paternalistas.

   Poucas propostas  

O que se viu e assistiu, nos chochos debates entre os candidatos majoritários, foi um verdadeiro show de propostas que não convenceram  os eleitores mais traquejados e com vivência no setor produtivo primário. Ataques e jogadas de flanco contra a moral e possíveis falhas na vida pessoal de cada candidato permeou de ambos os lados, enfraquecendo e tornando desgastantes as oportunidades em que eles poderiam apresentar com clareza suas idéias e propostas. Quem perdeu foi a sociedade!

   Sinais dos tempos!

Se buscarmos no baú dos tempos, veremos que as grandes figuras que transformaram este País, por que não dizer, Rondônia, como Getúlio Vargas, Juscelino Kubistheck, marechal Cândido Rondon, Leonel Brizola e tantos outros que o povo se aglomerava nas ruas e praças públicas para ouvir suas pregações desapareceram. O meu professor de filosofia, Jaime Pitermann, explicou que quando os grandes políticos, idealizadores e pensadores deixam de existir surgem os medíocres, tentando impor suas idéias contra qualquer tipo de mudanças e inovações no campo e na sociedade.

    Mudar é preciso!

De qualquer maneira, hoje é dia de mostrar se estamos satisfeitos com as idéias retrógradas, sem falar na velha e nossa conhecida corrupção, ou se vamos mudar de verdade. Se vai melhorar ninguém sabe, mas como está não pode ficar. Mudar é preciso..!!!    

   Duas boas notícias!

No domingo à noite o Superintendente da Federação das Indústrias de Rondônia (FIERO), Gilberto Batista, embarca para China onde realizara contatos com empresários daquele país apresentando os principais  produtos rondonienses, carne, soja e milho. Ao retornar de Belém do Pará, sede do Banco da Amazônia, onde participou de reuniões com a diretoria da instituição, o Superintendente Regional, Wilson Evaristo, informa que foram alocados R$ 2 bilhões para o agronegócio em Rondônia, em 2019.        

       


Escreva um comentário

sobre José Luiz Alves

José Luiz Alves, é jornalista. Apresenta aos sábados das 6h às 8h na Rede Tv Rondônia! o programa Campo e Lavoura, com informações ao homem do campo e produtores rurais, em cadeia com seis emissoras de rádios para todo o Estado de Rondônia.

Arquivos de colunas