Porto Velho/RO, 27 Julho 2020 12:40:34
Polícia

Live do grupo de pagode ‘Aglomerou’ é interrompida por operação da Polícia Civil

Segundo a corporação, os policiais foram ao local para evitar "que alguém pudesse ser ferido durante a ação"

A-A+

Publicado: 27/07/2020 às 12h39min | Atualizado 27/07/2020 às 12h40min

Foto: Divulgação

Um show transmitido ao vivo por redes sociais do grupo de pagode “Aglomerou” foi interrompido por uma operação da Polícia Civil em Angra dos Reis neste domingo. Enquanto a banda tocava “Compasso do Amor”, do grupo “Revelação”, os agentes entraram no local. Segundo a corporação, os policiais foram ao local para evitar “que alguém pudesse ser ferido durante a ação”, já que uma operação ocorria na casa ao lado.

Pelas imagens é possível ver que antes da música ser interrompida algumas pessoas da produção foram abordadas pelos policias e levantaram as camisas para mostrar que não estavam armados. Quando a banda percebeu a presença dos agentes, o show foi interrompido e os músicos saíram agachados pela frente das câmeras a banda parou e os integrantes saíram agachados para atrás das câmeras.

Um agente correndo com um fuzil empunhado chegou a passar em meio aos integrantes. Ao fundo também é possível ver a presença de um helicóptero da corporação que dava apoio aos policiais.

Em um outro vídeo gravado dentro da casa durante a operação, além de som de tiros, algumas pessoas diziam que os policiais erraram a casa. Ao EXTRA João Victor Costa, vocalista da banda, relatou os momentos de tensão durante a abordagem. Ele acredita que o som da música ao vivo atrapalhou os policiais:

— Tudo ocorreu em menos de um minuto. Eles ouviram a música ao vivo, viram a porta aberta e acharam que estavam na casa certa porque estavam procurando um local com uma festa. Durou tudo menos de um minuto e assim que eles perceberam o erro foram pela orla em direção a casa certa — narra.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Tá tudo bem!

Uma publicação partilhada por Grupo Aglomerou (@aglomerouoficial) a

O local em que a apresentação era uma casa de festas da cidade a beira-mar no bairro Ribeira:

— Não entendemos nada na hora. Percebi o helicóptero voando baixo, e logo depois apareceram os policiais. Depois, quando eles já estavam dentro da casa ouvimos alguns tiros, mas eram um pouco longe. No sábado quando vimos montar o equipamento a gente percebeu que estava rolando uma festa aqui perto que continuou até hoje — completa o vocalista.

Em nota, a Polícia Civil afirmou que a live foi interrompida para “evitar que alguém pudesse ser ferido durante a ação” em uma casa ao lado que procurava um grupo de milicianos foragidos da Jsutiça.

Leia a nota da Polícia na íntegra:

“Policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), com apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), realizaram uma ação no município de Angra dos Reis, na tarde deste domingo (26/07), referente a uma investigação da especializada. Os policiais checavam informação de uma casa onde estaria sendo realizada uma festa desde ontem com criminosos foragidos da Justiça.

Com a aproximação dos agentes, alguns criminosos correram em direção a um mangue e efetuaram disparos em direção aos policiais, que ainda tentaram localizá-los, sem sucesso.

Todas as pessoas que estavam na festa foram autuadas por descumprimento de medida sanitária preventiva, com base no artigo 268 do CP. No local os agentes encontraram frascos de lança prefume e indícios de consumo de drogas. Algumas pessoas que estavam na festa também possuíam anotações criminais por diversos crimes como tráfico de drogas, roubo e associação criminosa, mas sem mandados pendentes.

Na casa ao lado, onde estava sendo realizada a diligência, ocorria uma live de um grupo musical, que foi interrompida para evitar que alguém pudesse ser ferido durante a ação.” (Extra)

VÍDEO:



Deixe o seu comentário