Porto Velho/RO, 14 Janeiro 2020 13:47:47

    VictoriaAngelo

    coluna

    Publicado: 14/01/2020 às 13h45min | Atualizado 14/01/2020 às 13h47min

    A-A+

    Lula e Moro serão o centro do debate político de 2020!

    Ex-presidente e Ministro da Justiça estarão no centro do debate eleitoral de 2020 nas principais cidades do país.

    As eleições municipais de 2020 terão como fundo do debate eleitoral os nomes de Moro e Lula.

    O ex-presidente Lula e o atual ministro Sérgio Moro do governo Bolsonaro, deverão ser o centro dos discursos e debates dos candidatos nas eleições 2020 nos principais municípios do Brasil.

    Lula e Moro empatados na preferência do eleitorado.

    O ex-presidente Lula e o ministro da Justiça, Sergio Moro, são os brasileiros mais citados no universo da política em 2019. Ambos aparecem em primeiro em pesquisa para eleições 2022, segundo pesquisa Datafolha de janeiro. O Datafolha pediu que os entrevistados dissessem, em uma escala de 0 a 10, qual o nível de confiança que tinham em cada um dos integrantes da lista. As notas até 5 são consideradas baixo índice de confiança, de 6 a 8, médio, e 9 e 10, alto.

    Há os que amam Luiz Inácio Lula da Silva e os que o odeiam. Difícil é ignorá-lo. Sergio Moro, chamado de “canalha” e “mentiroso” no discurso que o ex-presidente fez no sábado (9), em São Bernardo do Campo, São Paulo, foi ao Twitter dizer que “algumas pessoas só merecem ser ignoradas”. Se ele pensa isso, deveria ter ficado quieto.

    Um terço (33%) disse ter alta confiança em Moro, 23%, média confiança, e 42%, baixa confiança. Na lista dos mais confiáveis, Lula vem em seguida, com 30% de confiança alta (16% média e 53% baixa). Apesar de empatar dentro da margem de erro com o ex-juiz no quesito alta confiança, o petista aparece em segundo por ter índices piores de média e baixa confiabilidade, informa a reportagem de Flávia Faria.

    “O levantamento mostra ainda que a credibilidade de Lula, que estava em queda, voltou a subir. Os 20% de alta confiabilidade em fevereiro de 2016 se transformaram em 30% agora. No fim de 2009, no seu segundo mandato na Presidência da República, eram 52%”, diz a reportagem.

    Lula, após ser solto da carceragem da PF em Curitiba.

    A queda de Moro?

    Joaquim Parrom Maria disse que é perceptível  pela pesquisa que Moro caiu muito com a revelação da Vaza Jato. Se ele não tiver uma posição clara sobre os casos “Queiroz, Flávio Bolsonaro, Milicianos, Mariele…” a tendência é cair muito mais. Não dá para ter uma posição de justo e permanecer calado diante desta realidade que está as claras para muitos. Ou se define ou perderá mais ainda a confiança do povo. A palavra com Moro… .

    Moro prendeu Lula. Moro soltou Lula. É incrível a dedicação dos militantes que passaram 580 dias fazendo vigília diante da sede da Polícia Federal, em Curitiba. E é admirável a perseverança dos que apostaram no mote “Lula livre”. Mas não foi por causa deles que o ex-presidente ganhou a liberdade.

    Sérgio Moro estará no discursos de parte dos candidatos nas eleições 2020.

    Orientações de Lula.

    Uma das primeiras orientações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao PT assim que deixou a cadeia, há três semanas, foi para que o partido lance o maior número possível de candidatos a prefeito em 2020, principalmente nas cidades onde há horário eleitoral na TV. Lula quer aproveitar a eleição municipal para fazer a defesa dos governos petistas e dele mesmo. No entanto, a falta de candidatos competitivos, negativas por parte de velhos quadros da legenda e interesses políticos dos caciques regionais dificultam o cumprimento da orientação.

    Líderes no Congresso orientam partidos e candidatos à eleição 2020 pelo discurso ideológico.

    Moro será candidato ao Planalto em 2022, pode apostar”, diz deputado do PT.

    Em entrevista ao Poder360, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) afirma que o ex-juiz Sergio Moro trabalha com a possibilidade de ser candidato à Presidência  desde a época da Lava-Jato. Assista abaixo (33min11):

    “Tudo o que o Moro fez na sua trajetória, ele fez com 1 objetivo político. Ele sempre foi 1 juiz partidário, tinha e tem o objetivo de ser candidato a presidente”, disse Teixeira, que é advogado formado pela Faculdade de Direito da USP.

    Para Teixeira, Moro fez uma ação para tirar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da disputa de 2018. “Ele conversou com Bolsonaro durante todo o período eleitoral.”

    Na entrevista, Teixeira prega a união dos partidos de esquerda, mesmo com os conflitos estabelecidos com o PDT nas eleições do ano passado. “Como diria Belchior, o passado é uma roupa que não nos serve mais.” A dificuldade dos petistas é que integrantes de legendas como PSB, por exemplo, se dizem escaldados com o projeto de poder do PT a partir da polarização Bolsonaro-Lula.

    Lula e Moro deverão ser o centro dos debates nas eleições 2020.

     


    Deixe o seu comentário

    sobre Victoria Angelo Bacon

    Colaborador do Diário da Amazônia - Jornalista e professora de Língua Portuguesa e Comunicação. Graduada pela Universidade do Estado do Paraná. Especialista em Mídias Sociais pela PUC/PR. Assessora de Comunicação do Governo de Rondônia. Lecionou disciplinas de Comunicação e Linguagem na UFAM, UAB/UNB e Rede Pública de Educação de Rondônia. Secretária Executiva da Universidade Federal de Rondônia e dirigente sindical do SINTUNIR- UNIR. Colunista e apresentadora no Rondoniaovivo do programa Diálogo. Âncora do programa Diálogo nas Redes Sociais na Rede TV Rondônia em 2020.

    Arquivos de colunas