Porto Velho/RO, 05 Julho 2020 06:00:59

CarlosSperança

coluna

Publicado: 05/07/2020 às 06h00min

A-A+

Mais uma vez o sonho da pavimentação da BR 319, que liga Porto Velho a Manaus está sob ameaça

Crítica e método Qual é a melhor atitude a tomar diante de uma crítica? Quem não está habituado ao debate e costuma impor a própria..

Crítica e método

Qual é a melhor atitude a tomar diante de uma crítica? Quem não está habituado ao debate e costuma impor a própria vontade sem se preocupar com as consequências as rejeita de pronto, na base da justificativa infantil “porque sim” e murros na mesa.

A boa vivência parlamentar ensina que só com polidez, respeito e bom senso se pode convencer alguém de forma consistente e duradoura. Quem a teve, sabe que a melhor forma é de imediato concordar com o que a crítica traz de correto. Só depois de incorporar as correções ao próprio argumento fica plausível e sólido apontar falhas ou incongruências na crítica.

O que mais se vê nos debates atuais sobre a Amazônia é a grosseria de rejeitar sem avaliações coerentes os argumentos apresentados pelos cientistas e líderes que ousam sugerir iniciativas para vencer os seculares dramas da Amazônia. Não faltam propostas sensatas a avaliar, como a validade de aplicar o método Tipitamba para a rápida redução das queimadas legais. 

Sob o aplauso de quem já teve os pulmões oprimidos pela fumaceira e baixou hospital para curar os males causados por elementos tóxicos despejados no ar, o método é um sistema de corte e trituração para preparar as áreas de plantio. Funciona como uma injeção de saúde para esvaziar UTIs. Um bom tema para debater. Já as queimadas ilegais precisam ser combatidas a ferro, pois o fogo, neste caso, é dispensável.

……………………………………………………..

Algum rabinho…

Os políticos de um determinado estado na região amazônica descobriram um “rabinho” daqueles de lascar do seu governador de plantão e já estão mandando no pedaço. Até pouco tempo quando ficavam de asas crescidas o governador acenava com umas fitas gravadas exigindo propinas e nomeações e eles colocavam logo os rabos entre as pernas. Agora o jogo virou a favor do serpentário. Os políticos nomeiam, pintam e bordam. Coisa de louco! 

Caerd falida

É de conhecimento geral que a Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia-Caerd é uma empresa falida e tem sido saqueada pelos políticos desde os idos do território federal quando foi implantada  e  já na condição de estado virou ninho de acomodações partidárias emergindo gordos marajás da vida pública. Com a pandemia e com milhares de usuários deixando de pagar as contas a situação da companhia se complicou de vez. Pobre Caerd! 

A suspensão

Mais uma vez o sonho da pavimentação da BR 319, que liga Porto Velho a Manaus está sob ameaça com a exigência do Ministério Público Federal em suspender a licitação para a obra de um importante trecho da rodovia até que sejam apresentados os estudos de impacto ambiental. A medida no mínimo vai atrasar o asfaltamento que estava para ser iniciado ainda neste ano. Entre idas e vindas há pelo menos duas décadas as brigas se sucedem com os organismos ambientais.

Novo epicentro

Infelizmente o decreto do governador Marcos Rocha que voltou a restringir o funcionamento do comércio em 23 municípios do estado –inclusive a capital – é objeto de boicote de prefeitos, políticos, associações comerciais e da própria população que não cumpre as recomendações da Organização Mundial da Saúde. Enquanto isto a pandemia assusta e Porto Velho se encaminha para ser um novo epicentro do coronavirus na Amazônia.

O encerramento

Com tristeza, constatei em algumas avenidas  importantes de Porto Velho a multiplicação de placas proclamando o encerramento de atividades. Perante escritórios de contabilidade de amigos verifiquei que a situação de fechamento de estabelecimentos comerciais disparou nos últimos quatro meses. Ao mesmo tempo as faixas de aluga-se proliferam do Caiari ao Socialista, do Caladinho ao Jardim Planalto. Que situação! 

Via Direta

***Com as regras já definidas pela justiça eleitoral, os candidatos a prefeito, vices e vereadores vão a luta para a eleição de 15 de novembro *** O divisionismo político e a falta de rumo no combate ao coronavirus está levando Rondônia ao despenhadeiro*** É uma casa da mãe Joana e ninguém se entende. Cada prefeito puxa a brasa para sua sardinha e deixa o governador Marcos Rocha doidinho da silva*** Impressiona o abrupto aumento os casos da pandemia em Porto Velho *** Na Assembleia Legislativa até o presidente da casa de leis Laerte Gomes (PSDB) acabou contraindo a doença*** Anteriormente outros políticos e servidores já tinham sido alvo da pandemia na Casa de Leis. 

 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas