porto velho - ro, 12 Setembro 2019 20:57:53
    Geral

    MBL prepara caminhada de 700 KM na BR-319 por pavimentação

    A rodovia será percorrida por um grupo de 20 pessoas do MBL com o apoio de um caminhão

    Por Redação
    A-A+

    Publicado: 26/07/2019 às 16h24min | Atualizado 26/07/2019 às 16h27min

    Marcelo Cavalcante entrega manifesto ao ministro Tarcísio Freitas, da Infraestrutura

    O Movimento Brasil Livre (MBL) entregou ao ministro TarcÍsio Freitas (Infraestrutura) um manifesto pela repavimentação da BR-319, que liga aquele Estado  ao restante do país, passando por Rondônia. É a única via terrestre de ligação do Amazonas com as demais regiões brasileiras.

    Segundo o jornal “Folha de São Paulo”, membros do MBL do Amazonas se preparam para uma caminhada de 700 km ao longo da BR-319, no trecho entre Humaitá (AM) e Manaus. O encontro com o ministro ocorreu por ocasião da visita do presidente Jair Bolsonaro na quinta-feira (25) à capital do Estado.

    A jornada deve ter inicio, segundo o empresário Marcelo Cavalcante, coordenador do MBL em Humaitá, no dia 10 de agosto e pretende chegar ao destino final em 3 de setembro.

    A BR-319 possui 885 km ao todo, ligando Manaus a Porto Velho(RO).  Os trechos próximos as capitais estão pavimentados, mas pelo menos 478 KM não tem asfalto, e a mata tomou conta de alguns trechos da estrada.

    A manutenção da rodovia, entregue em 1976 pelo presidente Ernesto Geisel, sempre foi precária. Um parecer técnico do Instituto

    Do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em 2009 considerou o asfaltamento inviável, com base no argumento de que o tráfego seria um risco à preservação da floresta.

    Há muitos anos políticos de Rondônia clamam pelo asfaltamento, e muitas caravanas tem sido feitas para chamar a atenção para a dificuldade dos moradores se deslocarem na estrada.

    A rodovia tornou-se parte do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) 1 e 2 nos governos de Lula e Dilma.  O petista chegou a destinar quase R$ 700 milhões para obras, mas a repavimentação do trecho central depende de licenciamento ambiental que se arrasta desde 2005.

    A rodovia possui outros três trechos licenciados, mas que também apresentam problemas de trafegabilidade. A manutenção fica a cargo do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

    Os riscos ambientais, a natureza do licenciamento e o asfalto permanecem como temas polêmicos na região.

    O ministro Tarcísio Freitas já prometeu usar R$ 100 milhões do Orçamento de 2019 para obras na BR-319. Segundo o coordenador do MBL em Humaitá, Marcelo Cavalcante, o ministro disse que se a entidade conseguir o apoio popular “facilitaria” a defesa da obra.

    Segundo ainda Cavalcante, o ministro disse que poderia recepcioná-los na chegada à Manaus, o que foi confirmado pela assessoria do Ministério da Infraestrutura.

    A rodovia será percorrida por um grupo de 20 pessoas do MBL com o apoio de um caminhão, que levará material para acampamento, gerador de luz e estoque de comida. A jornada será registrada em fotos e vídeos.

    “A cada quatro anos, nas eleições, há a promessa de reintegrar o Amazonas ao Brasil. Os candidatos usam como discurso político, mas no final não fazem. Manaus é isolada do país há três décadas”, reclamou Cavalcante, na entrevista à Folha de São Paulo.

    Com informações da repórter Carolina Linhares.



    Escreva um comentário