Porto Velho/RO, 03 Janeiro 2020 09:15:36

    ChagasPereira

    coluna

    Publicado: 03/01/2020 às 09h15min

    A-A+

    Medo leva corruptos a boicotar projetos de Moro

    No entanto, Sérgio Moro se mantém com prestígio em alta perante a população.

    Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Bolsonaro, faz corruptos tremerem na base. Isso é incontestável. Prova disso foram as derrotas impostas em 2019 ao ex-juiz federal e ex-líder da Lava Jato, a maior operação contra a corrupção já realizada em toda a América Latina. Respaldado pela confiança popular, Moro assumiu o Ministério da Justiça com propostas de fortalecer e tornar ainda mais abrangentes as ações de combate à corrupção e ao crime organizado. Mas o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal decidiram boicotar os projetos do ministro para fragilizar a Lava Jato. O Pacote Anticrime é um exemplo do medo que Moro impõe aos corruptos. Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, e Davi Alcolumbre, presidente do Senado, uniram forças para estraçalhar o projeto encaminhado pelo governo. Logo de cara taxaram o texto de cópia de projeto atribuído ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. O que havia sido proposto por Moro foi descartado. Obviamente que existe um grupo de parlamentares que se posicionou em defesa das propostas do ministro da Justiça, mas os defensores da corrupção fizeram prevalecer suas próprias defesas. No Supremo Tribunal Federal, seis dos 11 ministros, incluindo o presidente Dias Tofolli, que também se posicionaram como defensores da corrupção, decidiram por derrubar a prisão em segunda instância, abrindo as celas para centenas de presidiários, dentre os quais Lula e José Dirceu, predadores do dinheiro público. No entanto, Sérgio Moro se mantém com prestígio em alta perante a população, com possibilidades reais de vir a ser o próximo presidente do Brasil, nas eleições de 2022.

    Prioridades

    Novo ano, novas possibilidades de crescimento, de reavaliação de conduta, de reanálise de projetos, de ponderação sobre comportamento, de mudanças, sob todos os aspectos. Já estamos vivendo 2020, certamente com grandes expectativas. Mas o quê realmente desejamos alcançar ao longo deste novo ano? Acredito que buscar ser melhores, como pessoas, como profissionais, como pais, filhos, esposos e esposas, como cristãos, como cidadãos, são prioridades. Mas tudo isso depende unicamente de nós, das mudanças que fizermos em nós mesmos.

    eSocial

    Mais de um milhão de médias empresas, com faturamento de até R$ 78 milhões por ano, precisam providenciar a inserção de dados de saúde e segurança de seus funcionários no eSocial, sistema informatizado de informações empresariais, obrigatório desde ontem. O governo argumenta que a migração para o eSocial reduz a burocracia e elimina a manutenção de arquivos em papel. O governo também alerta que o desrespeito ao cronograma poderá prejudicar os trabalhadores, que terão dificuldade para receber benefícios sociais e trabalhistas, caso o empregador não preste as informações nas datas corretas.

    Clima

    O ImpactaClima é uma plataforma que objetiva consolidar, integrar e disseminar informações que possibilitem o avanço das análises e o monitoramento dos impactos da mudança do clima observados e projetados no território nacional. Pelo menos é esse o propósito do governo federal, por meio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações. A torcida é para que as coisas aconteçam conforme o planejado.

    Fraqueza

    A violência doméstica tem atingido índices preocupantes, e assusta. Se formos analisar que normalmente os protagonistas desses casos são justamente aqueles que deveriam dar bons exemplos a situação fica ainda mais preocupante. Homens usam a força desproporcional para agredir e matar filhos e esposas (incluindo as ex), numa clara demonstração de fraqueza. Homem que é homem ama sua família, zela por ela e a defende. Simples assim.

    Aprendizado

    Viver é aprender, e esse aprendizado acontece diariamente. Em tudo e com tudo nós aprendemos. Mas, aprender depende apenas de nós, da nossa disposição de usar os nossos erros como alavanca para escolhas adequadas, que realmente sejam importantes para o nosso crescimento. Errar faz parte da vida porque a vida é uma escola, mas não deve ser regra. Nem todos aprendem com os erros porque insistem em viver errando e se mantêm medíocres. Estejamos abertos ao aprendizado todos os dias.


    Deixe o seu comentário

    sobre Chagas Pereira

    Com mais de 40 anos de atuação no segmento da comunicação em Rondônia, Chagas Pereira é jornalista, radialista, consultor e palestrante.

    Arquivos de colunas