Porto Velho/RO, 17 Fevereiro 2020 14:37:06

    VictoriaAngelo

    coluna

    Publicado: 17/02/2020 às 13h59min | Atualizado 17/02/2020 às 14h36min

    A-A+

    Mesmo com forte oposição, Aliança pelo Brasil consegue sua primeira vitória.

    Partido criado pelo presidente Bolsonaro atingiu nessa segunda-feira (17) de fevereiro, o número mínimo de assinaturas a ser oficializado.

    A legenda teria atingido a meta antes do dia 7 de março, o prazo final para concorrer às eleições deste ano. As informações vêm dos diretórios do partido da região Nordeste. Coronel Meira, coordenador do partido em Pernambuco, confirmou ao Jornal do Comércio, que o total de assinaturas foi atingido.

    Apoiadores da criação do Aliança pelo Brasil em São Paulo.

    Sérgio Lima, dirigente da Aliança pelo Brasil, disse para o Estadão que o partido já recolheu as assinaturas necessárias para sua criação.

    Segundo ele, ainda falta “converter” as fichas em assinaturas válidas no TSE.

    A Aliança pelo Brasil, partido que o presidente da República Jair Bolsonaro e seus aliados pretende criar, já conseguiu as assinaturas necessárias para efetivar a homologação do partido, informam líderes da nova legenda. Eram necessárias 490 mil adesões.

    Presidente Bolsonaro em evento do Aliança pelo Brasil.

    Estabilidade para Bolsonaro.

    Se com o Aliança ele alcançar a estabilidade partidária que tanto o afligiu durante do primeiro ano de governo, as perspectivas para 2020 e 2021 passam a ser, ao menos no âmbito político, de notável otimismo com ajuste definitivo de conflitos e o total desaparecimento de divergências intrapartidárias, outrora alimentadas por parlamentares que nutriam esperança de obter espaço no governo em troca do apoio (nada mais do que obrigatório).
    Isolando os políticos do PSL com tendência mais fisiológica, Bolsonaro devolve o “problema” para o colo dos eleitores – caso algum parlamentar, com o fito de não apoiar o governo, resolver votar contra a redução da maioridade penal, o “problema” deixa de ser um ajuste entre o presidente e as lideranças do partido em face do parlamentar rebelde: passa a ser um problema do parlamentar com o seu eleitor.
    Ponto para Bolsonaro, ponto para os deputados de sua base partidária em fase de migração para o Aliança, enfim, ponto para o Brasil.

    Símbolo do Aliança pelo Brasil 38 em Brasília.

     

    O texto acima foi construído a partir das publicações de O Estadão, O Antagonista e Jornal do Commercio.

     

     


    Deixe o seu comentário

    sobre Victoria Angelo Bacon

    Colaborador do Diário da Amazônia - Jornalista e professora de Língua Portuguesa e Comunicação. Graduada pela Universidade do Estado do Paraná. Especialista em Mídias Sociais pela PUC/PR. Assessora de Comunicação do Governo de Rondônia. Lecionou disciplinas de Comunicação e Linguagem na UFAM, UAB/UNB e Rede Pública de Educação de Rondônia. Secretária Executiva da Universidade Federal de Rondônia e dirigente sindical do SINTUNIR- UNIR. Colunista e apresentadora no Rondoniaovivo do programa Diálogo. Âncora do programa Diálogo nas Redes Sociais na Rede TV Rondônia em 2020.

    Arquivos de colunas