Porto Velho/RO, 18 Novembro 2020 16:20:09
Geral

Mesmo com pacto racial, empresas têm 6% de diretores negros

O indicador é elaborado em parceria com a Faculdade Zumbi dos Palmares

A-A+

Publicado: 18/11/2020 às 16h19min

A participação de negros em cargos de diretoria e nos conselhos de administração é de apenas 6,6%, segundo o Índice de Igualdade Racial nas Empresas (IIRE). O índice avaliou as medidas em prol da igualdade racial em 23 empresas que firmaram um compromisso de se engajar no tema.

São companhias de diversos setores, como telefonia, hipermercados, fabricação de peças elétricas, consultoria, petrolífero, bebidas e bancário. O indicador é elaborado em parceria com a Faculdade Zumbi dos Palmares.

A presença de pessoas negras nessas empresas aumenta percentualmente em cargos de menor responsabilidade. O percentual sobe para 18,7% nas gerências e chega a 31,6% entre os trainees e aprendizes.

Engajamento
As empresas têm buscado formas de reduzir essa desigualdade. Entre as 23 participantes, 19 afirmaram ter comitês específicos para debater a diversidade racial no ambiente corporativo. Em 16 companhias são organizados periodicamente eventos para discutir o tema e nove possuem projetos de treinamento e formação permanentes a respeito dessa pauta.

A respeito das dificuldades para implementar ações de conscientização sobre a questão racial, as empresas afirmaram ter dificuldade em engajar os trabalhadores nas discussões. Porém, as experiências mostram que, quando as lideranças (diretorias) se envolvem pessoalmente nos processos, a adesão tende a ser maior.

Seleção e ascensão
A maior parte das empresas (15) disse ter processos de seleção flexíveis com o objetivo de aumentar a diversidade racial em seus quadros. No entanto, a maior parte das empresas ainda não contratou profissionais por iniciativas ou canais específicos que buscam facilitar a entrada de pessoas negras no mercado de trabalho. Em 40% dos casos, as companhias justificaram essa postura pela falta de qualificação dos candidatos.

Entre as 23 empresas participantes, seis disseram ter programas com metas voltados para garantir a ascensão de pessoas negras na hierarquia da companhia. Parte (40%) das empresas que não tem esse tipo planejamento estruturado afirmou que uma das principais dificuldades é justamente estabelecer os objetivos quantitativos e qualitativos desses processos.(Agência Brasil)



Deixe o seu comentário