Porto Velho/RO, 13 Janeiro 2020 15:36:14
    Diário da Amazônia

    Moradores são retirados de área de risco na Capital

    Defesa Civil notifica os moradores para que providenciem a mudança e abandonem a área de risco.

    Por Redação Diário da Amazônia
    A-A+

    Publicado: 13/01/2020 às 15h36min

    Em torno de 50 famílias serão transferidas do antigo bairro da Balsa, área ribeirinha urbana da Capital, para moradias no Conjunto Habitacional Cristal da Calama, zona Leste da cidade. Na manhã desta segunda-feira (13), equipe da Defesa Civil Municipal estava no local notificando os moradores sobre a necessidade de deixarem a área. Paulo Afonso Alves da Silva, da Defesa Civil, informou que tão logo sejam desocupadas, as casas serão demolidas porque o local será transformado numa Área de Proteção Permanente (APP). 

    O monitoramento das áreas de risco continua sendo feito por conta do nível do rio Madeira, que continua subindo. Na manhã desta sexta-feira o nível estava em 14 metros e 37 centímetros, 23 centímetros acima da medição feita na sexta-feira, dia 10. Em 6 dias, o nível do rio subiu 35 centímetros. O aumento do volume de água do rio Madeira é resultado das fortes chuvas que caem em rios bolivianos que deságuam no Madeira, cujos impactos são sentidos também em Porto Velho. 

    A Defesa Civil de Porto Velho tem mapeadas todas as áreas de risco existentes na região urbana da cidade e também no Baixo Madeira. O mapeamento e o monitoramento das áreas de risco possibilitam uma ação mais eficaz e rápida em caso de as famílias serem impactadas pela elevação do nível do rio. Na área urbana da Capital, o trabalho é realizado nos bairros Nacional, São Sebastião II, Vila Candelária, Triângulo, Milagres, Ramal Maravilha e Becos do Birro, da Rede e Gravatal. A orientação da Defesa Civil é para que os moradores informem sobre qualquer anormalidade, ligando para o número 199.



    Deixe o seu comentário