Porto Velho/RO, 23 Janeiro 2020 18:11:57

    VictoriaAngelo

    coluna

    Publicado: 23/01/2020 às 18h11min

    A-A+

    Moro sustenta o Governo Bolsonaro e unifica a Direita. Não a divisão!

    Notícia divulgada na tarde dessa quinta-feira (23) diz que o presidente Bolsonaro pretende tirar Sérgio Moro da Segurança Pública.

    A possível saída de Moro do comando da Segurança Pública anunciado pelo presidente Bolsonaro nessa quinta-feira (23) de janeiro, tumultuou Brasília como se não estivesse de recesso. Enquete realizada por diversos segmentos apontam que o presidente Jair Bolsonaro daria um “tiro no pé” com bomba atômica se o comando da PF e da Segurança Pública for retirado do principal nome do governo. Se realmente concretizar a divisão do Ministério da Justiça e Segurança e retirado o comando de Moro da PF, o mesmo pede para sair e o governo Bolsonaro acaba, palavras do conselheiro do presidente e seu professor General Heleno.

    Os especialistas.

    Segundo alguns políticos e “especialistas” em segurança pública, Moro não entende nada do assunto. Mesmo assim, na sua gestão caíram todos os índices de criminalidade. Há argumentos vazios opõe-se resultados. Enfraquecer Moro é o sonho dos políticos em geral e dos petistas em particular. Também é o sonho de traficantes de drogas e de armas que tinham “diálogos cabulosos” de contrabandistas, do PCC e de outras facções criminosas. Enfraquecer Moro liquidará uma eventual reeleição de Bolsonaro.

     

    A notícia.

    O presidente Jair Bolsonaro admitiu nesta quinta-feira que poderá recriar o Ministério da Segurança. Segundo ele, há setores da sociedade que defendem a estrutura, assim como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Hoje, a área está integrada ao Ministério da Justiça, comandado por Sergio Moro.

    O que teme o Bolsonaro? Um ministro Moro cada vez mais em evidência. Alguém que pode fazer sombra a ele. Bolsonaro demonstra insegurança. Se recriar a pasta dividindo o que existe hoje, será mais uma traição àqueles que votaram nele porque eram contra o governo petista e contra a corrupção e contra a criminalidade. Moro vem fazendo ótimo trabalho na área e isso causa inveja e ciúme em Bolsonaro.

     

    Maioria esmagadora em enquete realizada é contra divisão de Ministério e saída de Sérgio Moro da Segurança Pública.

    Isso [recriação do ministério] é estudado, estudado com Moro. Lógico que o Moro deve ser contra, né? Estudado com os demais ministros. O Rodrigo Maia é favorável à criação da Segurança, acredito que a comissão de segurança pública, como trabalhou no passado, também seja favorável”, argumentou.

    Questionado sobre o futuro de Moro, Bolsonaro afirmou:

    “Se for criado [o novo ministério], daí ele fica na Justiça. O que era inicialmente. Tanto é que, quando ele foi convidado, não existia ainda essa modulação de fundir com o Ministério da Segurança”.

     

    Moro deve se demitir se perder poder, aponta colunista do Globo.

    Reunião sem Moro.

    O Palácio do Planalto divulgou a lista de quem participou da reunião com Jair Bolsonaro em que se discutiu a recriação do Ministério da Segurança Pública.

    Foi durante esse encontro que o presidente disse que estudará o desmembramento do Ministério da Justiça da Segurança Pública.

    O Palácio do Planalto divulgou a lista de quem participou da reunião com Jair Bolsonaro em que se discutiu a recriação do Ministério da Segurança Pública.

    Foi durante esse encontro que o presidente disse que estudará o desmembramento do Ministério da Justiça da Segurança Pública.

     

    Moro não está na lista:

    1. JORGE ANTONIO DE OLIVEIRA FRANCISCO, MINISTRO-CHEFE DA SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA;

    2. LUIZ EDUARDO RAMOS, MINISTRO-CHEFE DA SECRETARIA DE GOVERNO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA;

    3. AUGUSTO HELENO, MINISTRO-CHEFE DO GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA;

    4. ANDERSON GUSTAVO TORRES, SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO DISTRITO FEDERAL;

    5. LOUISMAR BONATES, SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO AMAZONAS;

    6. MAURÍCIO TELES BARBOSA, SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DA BAHIA;

    7. DEL PF RODNEI ROCHA MIRANDA, SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO GOIÁS;

    8. DEL PC JEFERSON MILER PORTELA E SILVA, SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO MARANHÃO;

    9. ALEXANDRE BUSTAMANTE, SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO MATO GROSSO;

    10. ANTONIO CARLOS VIDEIRA, SECRETÁRIO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA DO MATO GROSSO DO SUL;

    11. UALAME FIALHO MACHADO, SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DEFESA SOCIAL DO PARÁ;

    12. ANTÔNIO DE PÁDUA V. CAVALCANTI, SECRETÁRIO DE DEFES SOCIAL DE PERNAMBUCO;

    13.CEL EB RÔMULO MARINHO SOARES, SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO PARANÁ;

    14. MÁRCIO PEREIRA BASÍLIO, SECRETÁRIO GERAL DA POLÍCIA MILITAR DO RIO DE JANEIRO;

    15. MÁRIO LÚCUI ALVES DE ARAÚJO, SECRETÁRIO DE ESTADO PÚBLICA DE MINAS GERAIS

    16. FLÁVIO MARCOS AMARAL, SECRETÁRIO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA PC DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO;

    17. JOSÉ HÉLIO CYSNEIRO PACHÁ, SECRETÁRIO DE SEGURANÇA, DEFESA E CIDADANIA DE RONDÔNIA;

    18. CEL EB OLIVAN PEREIRA DE MELO JÚNIOR, SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DE RORAIMA;

    19. DEL PC PAULO NORBERTO KOERICH, SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DE SANTA CATARINA;

    20. CEL JOSÉ PEREIRA DE ANDRADE FILHO, SECRETÁRIO ADJUNTO DE SEGURANÇA PÚBLICA DE SERGIPE;

    21. MAJOR MOACIR ALMEIDA SIMÕES, SECRETÁRIO DO CONSELHO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA;

     

    O senador Alessandro Vimentou o plano apresentado a Jair Bolsonaro para repartir ao meio o ministério de Sergio Moro:

    “A Segurança Pública apresenta resultado excelente em 2019, sob condução do Ministro Moro. Consequência? Figuras importantes começam a defender a mudança na estrutura e a divisão do Ministério. Para essa turma o interesse público fica sempre em último plano. Não enganam ninguém.”


    O senador Alessandro Vieira comentou o plano apresentado a Jair Bolsonaro para repartir ao meio o ministério de Sergio Moro.

     

    Agora, vamos aguardar e torcer que seja uma Fake News!

     

    Mourão é contra a divisão do Ministério.


    Deixe o seu comentário

    sobre Victoria Angelo Bacon

    Colaborador do Diário da Amazônia - Jornalista e professora de Língua Portuguesa e Comunicação. Graduada pela Universidade do Estado do Paraná. Especialista em Mídias Sociais pela PUC/PR. Assessora de Comunicação do Governo de Rondônia. Lecionou disciplinas de Comunicação e Linguagem na UFAM, UAB/UNB e Rede Pública de Educação de Rondônia. Secretária Executiva da Universidade Federal de Rondônia e dirigente sindical do SINTUNIR- UNIR. Colunista e apresentadora no Rondoniaovivo do programa Diálogo. Âncora do programa Diálogo nas Redes Sociais na Rede TV Rondônia em 2020.

    Arquivos de colunas