porto velho - ro, 07 Novembro 2019 12:56:35
    Serviços

    Mudança de escola dos alunos do BF precisa ser informada

    As famílias beneficiárias do Bolsa Família, cujos filhos entre 6 e 17 anos mudaram de escola em 2014, precisam comunicar a alteração..

    A- A+

    Publicado: 27/07/2014 às 14h01min | Atualizado 29/04/2015 às 05h13min

    As famílias beneficiárias do Bolsa Família, cujos filhos entre 6 e 17 anos mudaram de escola em 2014, precisam comunicar a alteração ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou ao setor responsável pelo programa no município. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), a atualização das informações no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadastro Único) pode ser feita a qualquer tempo pelas famílias.
    Somente por meio da informação correta o Governo Federal é capaz de realizar o acompanhamento da frequência escolar dos jovens atendidos pelo programa. Se a mudança da escola não for atualizada, o monitoramento fica comprometido.
    A frequência escolar é um dos critérios obrigatórios para que as famílias recebam o benefício. O percentual mínimo é de 85% para estudantes entre 6 e 15 anos, e de 75% para aqueles com 16 e 17 anos.
    “Nosso intuito é que as crianças beneficiárias do Bolsa Família estejam nas escolas. Assim, o trabalho de apoio e monitoramento da frequência se fortalece cada vez mais em seu objetivo central, que é o cumprimento das condicionalidades, garantindo que essas crianças tenham acesso à educação e consigam concluir a educação básica”, observa o diretor de Condicionalidades do MDS, Daniel Ximenes.
    Os beneficiários também devem cumprir condicionalidades de saúde, que incluem a vacinação das crianças de 0 a 6 anos e a realização de consultas de pré-natal pelas gestantes. Cada família beneficiária do programa recebe, por mês, R$ 35 por estudante de 6 a 15 anos, e R$ 42 para aqueles com 16 e 17 anos.
    As famílias em situação de vulnerabilidade social que não conseguem manter os filhos na escola recebem atendimento da rede socioassistencial para identificar as causas do afastamento e ajudá-las a regularizar a situação. Elas são registradas no Sistema de Condicionalidades do Programa Bolsa Família (Sicon) e, com isso, recebem o valor mesmo se o beneficiário não for localizado.



    Deixe o seu comentário