porto velho - ro, 21 Setembro 2019 10:24:25

    ChagasPereira

    coluna

    Publicado: 19/09/2019 às 13h39min

    A-A+

    Mudanças são necessárias e indispensáveis para as transformações

    Transformações acontecem quando as mudanças são aceitas e permeadas de possibilidades

    Recusar-se a mudar ou refutar as mudanças é escolher permanecer vivendo os efeitos causados pelo ostracismo. As mudanças são necessárias e indispensáveis para que haja possibilidades de transformações, sejam elas no âmbito pessoal, profissional, político, religioso, cultural e, principalmente, humano. As transformações acontecem quando as mudanças são aceitas e permeadas de possibilidades.

    O Brasil vive um ambiente (muito pesado, por sinal) que reflete uma tendência de mudanças de comportamento ético. Mudanças que poderiam ser mais abrangentes e transformadoras se houvesse maior comprometimento de todos em prol do bem estar de todos. Mas, nem todos estão engajados nesse processo. Nesse contexto, atenho-me ao ambiente político, um dos mais criticados atualmente. E as críticas não acontecem por acaso.

    Enquanto o País necessita (e o povo grita por isso) de mudanças que possam transformar o ambiente político, por meio da implantação de medidas que evidenciem a transparência, necessária para que possa haver credibilidade pública, alguns insistem na tese de que a defesa de seus interesses deve prevalecer sobre os interesses do povo e da nação. Nas semanas mais recentes, o Congresso Nacional se debruçou sobre a análise e votação de um projeto de lei que contém propostas de mudanças na legislação eleitoral e que prevê a aplicação dos recursos financeiros do Fundo Eleitoral.

    A Câmara apressadamente votou e aprovou, encaminhando o projeto ao Senado. Se não houvesse pressão, interna e externa, certamente as mudanças vergonhosas seriam aprovadas. O fator pressão seria desnecessário se os detentores de mandatos no Congresso Nacional, nas Assembleias Legislativas e nas Câmaras Municipais fizessem jus à confiança da população, por meio de trabalhos éticos e comprometidos com as causas úteis ao País e seu povo.

    Cabe ao Congresso Nacional promover mudanças que realmente contribuam para melhorar e dar maior credibilidade ao sistema eleitoral no Brasil. Mas, essa é uma missão quase impossível porque existe uma tendência que predomina em um grupo de congressistas, cujo compromisso prioritário é com os seus próprios interesses. O eleitor, responsável diretamente pela votação e consequente eleição de seus ‘representantes’, sofre as consequências. Aliás, na minha humilde opinião, o Fundo Eleitoral já representa uma vergonha, porque é viabilizado com dinheiro público. Financiamento de campanhas políticas deve ficar por conta dos próprios partidos e dos candidatos. Dinheiro público deve ser investido em benefício público. Simples assim.


    Escreva um comentário

    Arquivos de colunas