Porto Velho/RO, 11 Junho 2021 11:00:24
Polícia

Mulheres denunciam pastor de 85 anos por crimes sexuais

A Polícia Civil do Goiás investiga um caso onde o pastor Joaquim Gonçalves Silva, de 85 anos, é denunciado, ao menos quatro mulheres,..

A-A+

Publicado: 10/06/2021 às 15h25min | Atualizado 11/06/2021 às 11h00min

Pastor segura microfone em Goiânia. Foto: Reprodução/ TV Anhanguera

A Polícia Civil do Goiás investiga um caso onde o pastor Joaquim Gonçalves Silva, de 85 anos, é denunciado, ao menos quatro mulheres, por ter cometido abuso e importunação sexual entre os anos de 2002 e 2021.

A defesa do pastor nega as acusações e afirma que elas fazem parte de uma tentativa de retirar o religioso do comando da igreja.

O pastor congrega na Igreja Tabernáculo da Fé. O G1 tentou contato com a secretaria do local, mas as ligações não foram atendidas.

Os abusos aconteceram em momentos de fragilidade, quando elas foram pedir conselhos ao religioso.

No caso mais recente, uma adolescente de 17 anos relatou em um vídeo publicado nas redes sociais que, em de janeiro de 2021, o pastor chegou a beijá-la quando ela esteve em seu escritório pedindo ajuda sobre o seu casamento, que estava em crise.

Em nota, a defesa do pastor Joaquim Gonçalves Silva manifesta  respeito a todas as mulheres que foram ou estão sendo verdadeiramente assediadas

Confira:

As acusações de assédio noticiadas contra ele são falsas e mentirosas. A campanha injuriosa, difamatória e caluniosa engendrada por um pequeníssimo grupo de  pessoas, formado de homens e mulheres, tem por finalidade a tomada  da liderança da Igreja Evangélica Cristã – Tabernáculo da Fé -, à qual  ele foi fundador e lidera com vigor no auge dos seus 85 anos, sempre na  retidão, com conduta moral reconhecidamente ilibada, pública e  notória. Este pequeníssimo grupo de pessoas, cuja competência,  compromisso com o sacerdócio e Deus ainda carecem de  desenvolvimento, acreditam que apagando a luz do outro para a sua  brilhar, alcançarão resultados que exigem anos de trabalho, sem  oferecer em troca a prática contínua do esforço, dedicação e disciplina.  No início, o pastor foi vítima de preconceito em razão de sua idade,  praticado por este diminuto grupo que vociferavam que “velho” não  pode liderar uma igreja, porém, não tiveram resultados com esta  estratégia. Depois, foi vítima de extorsão, sob pena de ataques à sua  moral. Agora, denúncias de assédio, absolutamente falsas, veiculadas  na imprensa que buscam impingir uma culpa midiática. 

Embora seja da natureza do religioso dar o perdão e a  outra face para bater, há limites na lei de César. Assim, responderá as  imputações de assédio para as autoridades competentes e tomará as  providências cabíveis perante a justiça contra este reduzido grupo,  formado de homens e mulheres, momento em que serão identificados. 

Fonte: Portal Holanda


Deixe o seu comentário