Porto Velho/RO, 15 Dezembro 2019 06:00:15

    JoséLuiz

    coluna

    Publicado: 15/12/2019 às 06h00min

    A-A+

    Na política as coisas só funcionam na pressão!

      Na pressão!            Depois de tanta pressão por parte de representantes do setor produtivo em Rondônia, com destaque..

      Na pressão! 

              Depois de tanta pressão por parte de representantes do setor produtivo em Rondônia, com destaque para o governador Marcos Rocha (PSL), o senador Acir Gurgazc (PDT), o deputado Lúcio Mosquini (MDB), o secretário de Agricultura, Evandro Padovani finalmente o presidente da República, Jair Bolsonaro reconheceu a necessidade de modernizar e acelerar o sistema de regularização fundiária, que virá beneficiar milhares de pequenos e médios produtores rurais que aguardam a mais de 40 anos os títulos definitivos das áreas que exploram. Repete-se o velho adágio popular: “na política as coisas só funcionam na pressão!”

             E tem mais…! 

             A Medida Provisória nº 910 que tem força de lei regularizando as questões fundiárias e normatizando as ocupações em terras da União, principalmente na Amazônia, vem para desafogar os conflitos fundiários, que atormentam principalmente a vida dos pequenos produtores rurais e suas famílias. Os governos de Rondônia, Acre e Amazonas tiveram uma participação importante neste processo, que a partir do próximo ano para funcionar só basta fazer cumprir a lei. 

             Fim melancólico

          Finalmente sem cumprir os objetivos para os quais fora criado à meio século, o Instituto  Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), que ao longo de cinco décadas naturalmente foi deixando de cumprir as finalidades para as quais fora designado na época pelo regime militar. Agora com a Medida Provisória, Nº 910 e conhecido como um grande cabide de empregos, açambarcado por denúncias de corrupção que (o digam a Policia Federal e o Ministério Público) será substituído por um órgão ágil e moderno sem os vícios do passado. 

           No rumo certo 

         O governador Marcos Rocha (PSL) ao completar o primeiro ano de sua administração revela uma face interessante dos administradores públicos destes novos tempos, mantendo um diálogo franco com as demais instituições respeitando e sendo respeitado ele conseguiu colocar o estado nos eixos. Contrariando os palpites daqueles que afirmaram,  que até os salários do funcionalismo público, iria atrasar. 

         Guerra da carne 

        Os frigoríficos não sobrevivem sem os pecuaristas, os pecuaristas não vivem no campo longe dos frigoríficos. Então essa queda de braço entre as duas partes, no que se pode chamar de a “guerra da carne” no Brasil pode deixar muita gente machucada a curto, médio e longo prazo. A China por questões religiosas até a metade de janeiro de 2020 não exportará um quilo de carne. Enquanto isso no mercado interno o valor do quilo do produto para o consumidor continua oscilando em todas as regiões. 

          Natal e Ano Novo!

         Se a picanha, a costela e outras carnes nobres para o churrasco de Natal e final de ano está salgada, não se assuste, busque o frango, o peixe, o peru, e pernil de suíno. Gaste sola de sapato, pois é sempre bom pesquisar para encontrar o produto de qualidade, desde os grandes supermercados as feiras livres. 

        Finalizando 

       Desejo um final de semana repetindo o que escreveu o poeta, Dino Frango: “quem corre muito se cansa  fica ao meio da estrada! Gostar de mulher dos outros e ter a vida arriscada! O bom é ser sempre amado, o resto não vale nada…!” Só os poetas podem nos oferecer essas lições  de vida.

     

                 


    Deixe o seu comentário

    sobre José Luiz Alves

    José Luiz Alves, é jornalista. Apresenta aos sábados das 6h às 8h na Rede Tv Rondônia! o programa Campo e Lavoura, com informações ao homem do campo e produtores rurais, em cadeia com seis emissoras de rádios para todo o Estado de Rondônia.

    Arquivos de colunas