porto velho - ro, 07 Novembro 2019 13:25:42

    CarlosSperança

    coluna

    Publicado: 21/05/2019 às 08h48min

    A-A+

    Não é exagero dizer que a Amazônia está sob ataque

    Amazônia sob ataque Depois da aguerrida campanha movida no Sudeste contra a Zona Franca de Manaus não é exagero dizer que a Amazônia..

    Amazônia sob ataque

    Depois da aguerrida campanha movida no Sudeste contra a Zona Franca de Manaus não é exagero dizer que a Amazônia está sob ataque. Difícil não entender também como parte da ofensiva a derrota da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) pelo domínio “ponto amazon” na internet para a poderosa varejista estadunidense Amazon, imposta pela Icann, organização que designa endereços e números na rede.

    A Amazônia não deixa ninguém indiferente. No calo, no cotovelo ou na consciência, o peso do substantivo “Amazônia” na agenda global é impactante, seja para os caricatos, mas assustadores ecoterroristas, interesses ilegais em madeira e minérios, os ambientalistas profissionais, em afirmar sua soberania na região e cidadãos preocupados com a destruição causada pelos rigores climáticos.

    A má imagem do Brasil no mundo abriu um flanco largo para ataques, sobretudo depois que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, mexeu com o vespeiro do Fundo Amazônia, irritando autoridades europeias, cujas doações robustecem o FA. Complicador a mais, a chefe do departamento de meio ambiente e responsável pelo fundo no BNDES, Daniela Baccas, foi afastada do cargo.

    ……………………………………..

    As queixas

    Prefeitos tem se queixado do Fundo de Participação dos Municípios-FPM, cuja fatia de leão no estado é destinada a P. Velho. Como os percentuais são rateados de acordo com a população dos municípios, com o Censo 2020 muitas dúvidas serão sanadas. Lembrando que a população da capital é superior a das cinco principais cidades do interior juntas, casos de Jipa, Ariquemes, Vilhena, Cacoal e Jaru

    O crescimento

    De antemão é possivel projetar que alguns municípios deverão aumentar a participação no rateio do FPM. São os casos de Buritis e Machadinho, no Vale do Jamari e Nova Mamoré, no Vale do Guaporé, cujas regiões receberam levas de migrantes na última década, como novas fronteiras agricolas, enquanto cidades da Zona da Mata, Cone Sul e Central perderam contingentes.

    Nome aos bois

    Num jogo de cena medonho, o senador Omar Azis (PSD-AM) exige do presidente Jair Bolsonaro que detalhe os políticos e partidos envolvidos no esquema “toma lá, da cá”. Ora, o próprio partido de Azis há muito tempo, desde os idos de Dilma e Temer se comporta desta maneira. E quanto à relação dos parlamentares que pedem propinas é mais fácil relatar os que não estão pedindo. São raros.

    Lula Livre

    Os petistas de Porto Velho já estão entusiasmados com a “Caravana Lula Livre” inciada pelo presidenciavel Fernando Haddad, que começa a percorrer a partir desta quinta-feira o Norte do país. Inicialmente estão projetadas visitações para animar a militância em Manaus, Santarém e Belém. Em Porto Velho e Rio Branco, onde Hadadd levou pau, ainda não tem datas definidas.

    Aquelas fitas…

    E o caso das gravações propineiras? Quem teve acesso à parte dos conteudos (envolve nove políticos pilantras buscando vantagens) relata que os pedidos de negócios foram nas áreas de: 1- Saúde (compra de remédios) 2- Alimentação (produção e entrega de marmitex), 3 – lavagem de roupas para hospitais 4- fornecimento de gás 5- obras de infraestrutura (estradas) 6-Vigilância 7-Cota de cargos comissionados.

     

    Via Direta

    *** Ainda me reportando ao caso das gravações, teve político se apresentando como representante de terceiros*** Não é de espantar porque existe tradição por aqui até de deputado chantagear deputado por causa de obras*** Trocando de saco para mala: políticos derrotados e que perderam cargos nas eleições passadas, passaram a condição de aspones, mas voltam à luta em 2020 disputando a vereança e prefeituras*** A urbanização do Complexo Madeira Mamoré é um belo passo para a revitalização do centro histórico.


    Deixe o seu comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas