porto velho - ro, 12 Setembro 2019 21:19:11

    SilvioSantos

    coluna

    Publicado: 23/07/2019 às 18h30min

    A-A+

    Não existe nada mais correto que consultar as pessoas mais sábias

    Quando o bar do Casemiro ou Capivara, ainda funcionava, principalmente aos sábados, sempre chegava um senhor, que tratava todo mundo como..

    Quando o bar do Casemiro ou Capivara, ainda funcionava, principalmente aos sábados, sempre chegava um senhor, que tratava todo mundo como “Cabo Ramos” e esse parceiro, que também era saxofonista da Banda de Música da Guarda Territorial – Nossa querida ‘Furiosa’, já meio truviscado, após ser agraciado com uma dose, comentava:

    *********

    “MEU SENHOR, O NEGÓCIO É CONVERSAR COM QUEM SABE E BEBER COM QUEM PAGA”. Até hoje, uso esse dito quando quero agradecer uma pessoa que me prestou um favor.

    ***********

    Não existe nada mais correto, que consultar as pessoas mais sábias, quando não conhecemos determinado assunto, serviço ou missão.

    **********

    A falta de comunicação pode causar transtornos irreparáveis. Quero chamar a atenção para o que esta acontecendo na montagem da estrutura do Arraial Flor do Maracujá,

    **********

    Acontece que por falta de humildade, o que está previsto para ser o melhor dos últimos tempos, pode se transformar no maior fracasso de uma administração cultural em nosso estado.

    **********

    A coordenação responsável pela montagem da estrutura do Arraial Flor do Maracujá,  em especial da Arena de apresentação, que conta com montagem de arquibancada, camarote, sonorização, iluminação e em especial o palco.

    **********

    Está agindo como se fora uma criança ‘emburrada’. Já não bastasse ter contratado arquibancadas que não vão abrigar nem 3 Mil pessoas sentadas! Bateu o pé e até disse que não mudaria nem que a ‘Vaca tussa’

    **********

    A posição da montagem do Palco. Vejam amigos leitores, se realmente a Coordenação do Arraial não atender a solicitação da direção dos grupos folclóricos via Federon, para montar o palco no MEIO do espaço entre a arquibancada do lado direito com a do lado esquerdo.

    ************

    Esse espaço tem aproximadamente 45 metros. O palco tem 14 Metros, a Federon quer que a Sejucel instale o palco no meio desse espaço e aí sobrariam 15 metros para o lado direito e 15 metros para o lado esquerdo.

    **********

    Esses espaços de 15 metros cada um, será utilizado para entrada e saída dos grupos e suas alegorias. Os grupos sempre entraram pelo lado esquerdo e saíram pelo lado direito do palco.

    **********

    Este ano a Sejucel mandou a empresa montar o palco, colado à arquibancada do lado esquerdo, é bem coladinho mesmo e deixou apenas um espaço para os grupos entrarem e saírem.

    ***********

    Já pensou no transtorno que isso pode provocar, pois, o grupo que acaba de se apresentar, pelo Regulamento, tem 15 minutos para retirar suas alegorias e cenários do “Curral de Dança”, enquanto o Grupo que vai começar a se apresentar, tem justamente esses 15 minutos, para montar suas alegorias e cenários.

    **********

    Se a equipe da Sejucel tivesse conversado com quem realmente sabe das necessidades dos grupos folclóricos, com certeza esse estresse não estaria acontecendo.

    ***********

    Estresse, porque apesar de não querer divulgar, o que pode realmente acontecer, com o Flor do Maracujá deste ano.

    ***********

    Em respeito aos leitores tenho que divulgar. Acompanhando os comentários no grupo de watts app da Federon durante a tarde de ontem. Os grupos folclóricos (maioria), estavam comentando que se a Sejucel insistir em não mudar a posição do Palco.

    **********

    Eles (grupo folclóricos) não vão entrar pra dançar no Flor do Maracujá. E aí?

    **********

    Apesar de não gostar de dar pitaco na decisão de outrem, tenho que concordar com o dirigentes dos grupos folclóricos.

    **********

    Do jeito que o palco estava sendo montado (ontem, até antes de fechar essa coluna), fica difícil controlar a saída de um e a entrada de outro grupo, pela mesma PORTA.

    **********

    MEU SENHOR, É CONVERSAR COM SABE E BEBER COM QUEM PAGA!


    Escreva um comentário

    sobre Silvio Santos

    Jornalista. Atualmente é editor do caderno de Cultura do jornal Diário da Amazônia. É um apaixonado pela Cultura de Porto Velho. Mantém uma coluna diário no jornal Diário da Amazônia. Conhecido carinhosamente por Zé Katraka.

    Arquivos de colunas