Porto Velho/RO, 31 Julho 2020 00:01:08

SolanoFerreira

coluna

Publicado: 31/07/2020 às 00h01min

A-A+

Novo crédito é nova tentativa de salvar a economia

A linha de crédito lançada pela Caixa Econômica Federal e que começa a vigorar a partir de 3 de agosto, aparece como alternativa para..

A linha de crédito lançada pela Caixa Econômica Federal e que começa a vigorar a partir de 3 de agosto, aparece como alternativa para quem precisa saldar dívidas que estão virando bola de neve. Essa modalidade é importante porque estima-se que 70% das famílias brasileiras tem alguma pendência que leva à negativação de credito. Isso representa algo em torno de 100 milhões de brasileiros com o CPF negativado.

Esse número absurdo de endividados afeta toda a economia nacional porque despenca o poder de consumo. O indicador de intenção de compra, no comparativo anual, registrou o quarto recuo seguido atingindo -26,4%. Ou seja, o povo brasileiro está apenas comendo e comprando remédio. E o impacto na econômica continua porque o número de famílias com dívidas ou contas em atraso aumentou de 25,4% em junho para 26,3% em julho, atingindo a maior proporção desde setembro de 2017.

A modalidade de crédito aprovada pelo governo chega com o nome de Real Fácil, em alusão às facilidades apresentadas diante de outras linhas de créditos em operação no mercado financeiro. Além de juros entre 0,60% a 0,80%, a pessoa que contrair poderá pagar em 180 parcelas, dando como garantia o imóvel particular que não tenha restrições. 

Com esse credito, o governo espera ajudar na recuperação econômica e minimizar o desastre econômico. Para isso, serão disponibilizados R$ 11 bilhões para as instituições financeiras. A Caixa operacionalizará a maior fatia, em torno de 32% do mercado. Esse crédito é uma nova tentativa de salvar a economia e poderá aliviar para grande parte dos 100 milhões de brasileiros que vivem o estresse e aflição das dívidas sempre crescentes.


Deixe o seu comentário

sobre Solano Ferreira

Editor-Chefe do Diário da Amazônia. Comunicador Social e Marketing/ Mestre em Geografia. Atua na Gestão Estratégica e Gerenciamento de Crise.

Arquivos de colunas