Porto Velho/RO, 29 Outubro 2021 15:16:38
Saúde

Novo medicamento contra malária está em processo de implementação

Cerca de 16 mil pacientes devem ser medicados com a Tafenoquina.

Por Redação Diário da Amazônia
A- A+

Publicado: 20/09/2021 às 13h44min

Foto: Divulgação

 

A Tafenoquina é um medicamento novo para tratar pacientes com malária e é uma opção à Primaquina, que será disponibilizado, por meio da Prefeitura de Porto Velho, em breve para o tratamento de determinado grupo de pacientes acometidos pela doença. O medicamento de dose única já foi aprovado e implantado pelo Ministério da Saúde (MS).

Uma das etapas para a disponibilização do medicamento é a capacitação dos profissionais de saúde que devem prescrever o remédio aos pacientes, e isso já está sendo feito pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa).

Atualmente, o município está na fase de implementação do teste de G6PD e uso da Tafenoquina. Esse trabalho acontecerá nas Upas Leste e Sul, Policlínica Ana Adelaide e no Centro de Pesquisa em Medicina Tropical (Cepem), onde a Prefeitura tem um laboratório para realizar exames de malária.

IMPORTÂNCIA

Rosilene explica que se trata da primeira linha de tratamento (em substituição à Primaquina) junto à cloroquina, em pacientes com monoinfecção de malária por P. Vivax, com idade igual ou superior a 16 anos, não gestantes ou lactantes e com atividade documentada de G6PD igual ou superior a 6.1U/gHb, conforme recomendações.

A implementação é uma proposta do Ministério da Saúde para os municípios de Porto Velho e Manaus (AM), devido à alta taxa de malária nas duas capitais, e por conta dos estudos que apontam a grande eficácia do medicamento no combate à doença.

Esse processo que iniciou em setembro será concluído no prazo de um ano, com a previsão de 16 mil pacientes incluídos, após ações realizadas em unidades de saúde de alta complexidade. Em caso de situações adversas associadas ao uso da medicação, os profissionais de saúde devem fazer a notificação à Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa) por meio do sistema VigMed.

 



Deixe o seu comentário