Porto Velho/RO, 16 Julho 2020 00:17:21

SolanoFerreira

coluna

Publicado: 16/07/2020 às 00h17min

A-A+

Novo normal chega com ensinamentos e esperança

Ontem (15) foi um dia de esperança para 38 municípios de Rondônia que entraram na fase 3, do Plano de Ação Todos Por Rondônia,..

Ontem (15) foi um dia de esperança para 38 municípios de Rondônia que entraram na fase 3, do Plano de Ação Todos Por Rondônia, podendo reabrir quase todos os segmentos empresariais. Esse novo normal chegou com boas expectativas, mas vale o alerta de que, a mudança de classificação desses municípios não significa o fim do problema. O novo coronavirus continua por aí, e ainda requer triplo cuidado, uma vez que novas variações foram identificadas na Amazônia. De um lado tem a necessidade da economia voltar ao normal, pois o mundo não gira sem dinheiro. Mas não devemos descuidar da saúde porque o vírus não tem distinção de pessoas.

Depois de aproximadamente quatro meses fechado, o comércio na capital teve um ar de alivio. As portas foram reabertas com a percepção de que não pode haver descuido. Uma nova regressão para isolamento social restritivo seria insuportável para todos. O rigor vem sendo mantido no protocolo de prevenção e é importante não perder esse foco. A maior preocupação no momento é por conta da população que não consegue se conter. É muita gente circulando sem necessidade e isso é mais grave do que abrir as portas dos estabelecimentos. O ideal é a cobrança geral, onde um cidadão exija do outro o cumprimento das regras preventivas.

O novo normal não será tão simples como se imagina. As vendas ainda são baixas e só deve melhor quando a população perceber que tem empregos e a renda familiar estará garantida. Isso dará a sensação de segurança econômica e o consumo voltará a crescer. O plano do governo de socorrer a economia e as famílias com o auxílio emergencial de R$ 600,00 não deu o efeito esperado. Na incerteza de quanto tempo duraria a pandemia, a maioria preferiu guardar o dinheiro em casa e priorizar alimentação. É importante o reflexo dos números positivos chegar ao conhecimento geral para que a confiança venha reascender.

A volta à normalidade também não será plenamente normal como antes. Estudos recentes indicam que 36% das empresas globais pretendem automatizar grande parte da mão-de-obra. A pandemia ensinou o mundo a movimentar pela tela digital na palma da mão e trouxe segurança em operações financeiras básicas. O comércio eletrônico cresceu e permanecerá em ascensão. Da mesma forma, as empresas aprenderam que as tecnologias substituem com eficiência muitos serviços humanos e, o redimensionamento social exigirá sempre o fazer mais com o menos possível. 

 


Deixe o seu comentário

sobre Solano Ferreira

Editor-Chefe do Diário da Amazônia. Comunicador Social e Marketing/ Mestre em Geografia. Atua na Gestão Estratégica e Gerenciamento de Crise.

Arquivos de colunas