Porto Velho/RO, 07 Janeiro 2020 08:37:43

    CarlosSperança

    coluna

    Publicado: 07/01/2020 às 08h37min

    A-A+

    O ano começou infeliz, com dramáticos acontecimentos

    A fonte da juventude O ano começou infeliz, com dramáticos acontecimentos no Oriente Médio, tempestades, inundações e um imenso..

    A fonte da juventude

    O ano começou infeliz, com dramáticos acontecimentos no Oriente Médio, tempestades, inundações e um imenso fogaréu na Austrália, fazendo esquecer por algum tempo os piores problemas da Amazônia. Nesta hora em que o lamentável pesadelo de uma nova guerra ganha corpo é urgente superar os prejuízos colhidos com a política das caneladas e promover gestos e ações amigáveis para reconquistar o respeito do mundo.

    A biodiversidade amazônica é uma cornucópia de maravilhas a oferecer ao mundo. Concentrar esforços no sentido de elevar bem alto o melhor que a região tem vai positivar os olhares do planeta sobre a Amazônia, fazendo com que ela deixe de ser a atual vilã do clima, fonte dos piores temores da humanidade, para voltar a ser um necessário oásis de soluções, concentrando esforços positivos para a atração de investidores e turistas.

    Distribuir um conhecimento melhor e mais diversificado sobre as riquezas da região será muito útil. Pena que mesmo no Brasil haja muita desinformação, por exemplo, quanto ao incrível potencial do caramuri. Alguns imaginam ser uma nova marca de fogos de artifício, sem entender que o fruto vale por três laranjas no quesito vitamina C e muito mais quando se trata de combater a hipertensão e o envelhecimento. Faltou a Ponce de León entender que a fonte da juventude não era exatamente um lugar, mas um pomar amazônico.

    ………………………………………………………..

    Plano Diretor

    Já estamos em 2020 e a população de Porto Velho ainda não foi informada sobre os rumos finais da revisão do Plano Diretor de Porto Velho, que é um estudo detalhado elaborado pelos técnicos do setor de planejamento da prefeitura da capital. A revisão é uma exigência do Ministério das Cidades a cada 10 anos para atualizar os projetos em andamento naquela pasta que destinam recursos para infraestrutura dos municípios.

    CPI da Energisa

    Ao final de 2019, o que se previa sobre as Comissões Parlamentares de Inquérito em Rondônia, Acre e Mato Grosso que investigavam o brutal aumento da energia pela Energisa, se concretizou. Como não era competência dos deputados estaduais alterar as tarifas, e sim atribuição da Aneel, as CPIs não resultaram em nadica de nada. Como explicar o fracasso a população destes estados que esperavam soluções?

    Marco legal

    O projeto de lei que altera o marco legal do saneamento básico no país já aprovado na Câmara dos Deputados deve entrar em votação no Senado até março, conforme as previsões dos congressistas. A proposta deverá ser ampliada dando mais autonomia às prefeituras municipais para explorar os serviços de saneamento. Em Porto Velho, espera-se com a medida soluções para problemas crônicos que se arrastam há décadas.

    Paradas duras

    Os prefeitos dos principais pólos regionais do estado vão enfrentar paradas duras nas eleições deste ano nas campanhas de reeleição. Em Porto Velho, o prefeito Hildon Chaves enfrenta o favoritismo de Leo Moraes; em Ariquemes o prefeito Thiago Flores tem cara à cara Tziu Jidaias, em Ji-Paraná o prefeito Marcito pega o indigesto Isau, em Vilhena o mandatário Eduardo Japonês tem refrega com o clã Donadon. Ossos duros de roer.

    Largando na frente

    Aparentemente, apenas em Jaru, o alcaide Juninho Gonçalves e, em Cacoal, a prefeita Glaucioni Nery largam muito na frente e estão em condições de obter a reeleição com mais facilidade. Juninho, por exemplo, tem a melhor avaliação desta fornada de prefeitos eleitos em 2016, com uma administração enxuta, longe de escandalos tão comuns nas municipalidades onde rolam desvios de recursos. Juninho é um raro nome limpo na política tão promíscua de Rondônia.

    Via Direta

    ***Recebendo em dia os recursos de suas emendas parlamentares, vereadores, deputados estaduais e federais estão abdicando de fiscalizar as prefeituras, governos estaduais e federal*** Em Rondônia abundam as vacas de presépio, fechando os olhos para verdadeiras barbaridades ***O mercado já sinaliza para 2020 uma retomada do setor imobiliário*** O segmento esta otimista diante do aumento do volume dos recursos para financiamentos e a queda de juros*** Por isto as construtoras já estão tocando muitos projetos de edificações de casas e apartamentos na capital*** Temos muitos prefeitos e ex-prefeitos enrolados com a justiça por conta de superfaturamento de obras*** Em mais alguns dias, mais escandalos municipalistas, que se tornaram rotina para os rondonienses.  


    Deixe o seu comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas