Porto Velho/RO, 14 Abril 2021 12:58:27

LarinaRosa

coluna

Publicado: 14/04/2021 às 00h06min | Atualizado 14/04/2021 às 12h58min

A-A+

O apoio que elas precisam

Assumir o próprio negócio não é tarefa fácil, ainda mais quando existem obstáculos como o preconceito de gênero

A participação das mulheres na economia brasileira aumenta a cada ano. A necessidade de adquirir outra fonte de renda e conseguir a independência financeira tem feito com que milhares delas assumam seus negócios na pandemia.

Mesmo durante o isolamento social, o empreendedorismo das mulheres aumentou 40% nos serviços de alimentação, estética, moda e confecção. Número considerável para mulheres que estão investindo em alternativas para mudanças.

Assumir o próprio negócio não é tarefa fácil, ainda mais quando existem obstáculos como o preconceito de gênero e dificuldades em conciliar a vida pessoal com a profissional.

Os obstáculos são muitos. Elas recebem menor acesso às linhas de crédito para expandir seus negócios. Lidam com jornadas triplas, que as deixam sobrecarregadas, pela maternidade e afazeres domésticos, que ainda são atribuídos aos cuidados delas. Como se toda a organização de uma casa ou o pleno desenvolvimento de uma vida fosse apenas responsabilidade de mulheres.

E para agravar a maioria não recebe apoio do parceiro na hora de empreender. É comum as mulheres ouvirem palavras de desencorajamento pelos próprios parceiros quando as ideias de negócios são compartilhadas. Talvez por receio de que, através de um empreendimento rentável, elas se desvencilham da dependência financeira e passam a comandar as rédeas da vida. Ou pelo fato de que as mulheres ganhem mais e acabam incomodando os companheiros quando o assunto é o sustento da casa. São situações difíceis de entender, pois quando o negócio rende, a melhora na vida familiar é imediata.

Recentemente, um motorista de Uber divulgou o trabalho da esposa maquiadora para uma passageira. A simples intenção de em compartilhar o trabalho da companheira viralizou nas redes sociais depois que a passageira divulgou a história, fazendo com que a maquiadora ganhasse milhares de seguidores. Hoje, a mudança é visível na vida dos dois, depois que o reconhecimento pelo trabalho e o apoio do marido chegou.

Os pretextos do machismo são muitos, mas todos eles continuam privando as mulheres de liderar.  Abrir o próprio negócio é uma forma de empoderamento para as mulheres. A ação empreendedora delas contraria os costumes impostos, o apoio melhora a vida em família, contribui para a autoestima e ajuda a mudar uma história ainda tão desigual.

 


Deixe o seu comentário

sobre Larina Rosa

Larina Rosa é natural de Colorado do Oeste, Rondônia. Jornalista, redatora e repórter do Diário da Amazônia, acredita na luta contra a violência de gênero e igualdade de direito das mulheres.

Arquivos de colunas