porto velho - ro, 17 Julho 2019 18:59:24

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 06/07/2019 às 12h02min

A- A+

O baita reajuste da energia em Porto Velho elevou os preços

Política para o turismo Nos EUA, o especialista em turismo Júlio Gavinho ouviu de um amigo: “Americanos gostam de lugares com sol o..

Política para o turismo
Nos EUA, o especialista em turismo Júlio Gavinho ouviu de um amigo: “Americanos gostam de lugares com sol o tempo todo, comida exótica e miscigenada, música hipnótica e sexy, alguma história, paisagens fulgurantes tropicais e diversidade étnica”. Uma descrição perfeita para a Amazônia e extensiva ao multiverso Brasil. Gavinho
também pensou assim, mas o interlocutor se referia à Jamaica. É um bom assunto a ser discutido no seminário “O turismo como vetor de desenvolvimento da Amazônia”. Nossa política de turismo somente será boa quando o estrangeiro também cogitar o Brasil entre suas preferências ideais, mas isso não vai acontecer com a péssima
imagem do país no exterior. O noticiário sobre o Brasil é deprimente: desmatamento acelerado, descuido com o clima, governo atabalhoado.

Diante dos anúncios de destinos maravilhosos, o futuro visitante vai preferir ambientes nos quais achará harmonia e segurança. Por mais que a estrutura de turismo brasileira apresente acomodações perfeitas, e serviços esmerados, o turista ainda vai preferir a Jamaica. O Brasil precisa de pacificação e união nacional em torno do essencial. As brigas
tóxicas e ofensivas dos guetos “ideológicos” obscurecem as maravilhas brasileiras.

Corredor do pó
Mais do que oportuna à pauta de reivindicações na área de segurança publica, apresentada pelo governador Marcos Rocha ao ministro da Justiça Sérgio Moro em Brasília. Precisamos proteger melhor nossas fronteiras contra o narcotráfico e o tráfico de armas pesadas. Mais de 70 por cento da criminalidade no estado esta intimamente ligada à questão das drogas. Rondônia virou um corredor do pó.

Sem trégua
Os deputados estaduais de Rondônia estão dispostos a uma guerra sem trégua contra a Ceron por conta do brutal reajuste tarifário ocorrido em Rondônia. No Acre, a classe politica unida às demais lideranças conseguiu na justiça sustar o reajuste e que a empresa Energisa devolvesse a diferença cobrada nos últimos meses. Os consumidores
acompanham tudo com os olhos abertos.

Em Candeias
Com um eleitorado superior aos 17 mil eleitores, o município de Candeias do Jamari, cidade satélite da capital, Porto Velho, realiza hoje uma eleição suplementar para um mandato tampão. São quatro candidatos na peleja: o empresário Paulo Cadilack, ex-deputado Ribamar Araujo, Valter Queiroz e o prefeito em exercício Lucivaldo Fabricio que ocupa o cargo de forma interina.

Mídias Sociais
Numa eleição sem a propaganda no horário gratuito nas emissoras de rádio e televisão, os candidatos tiveram que se virar através das mídias sociais, batendo tambor, com sinais de fumaça e no corpo a corpo. Neste modus operandi de campanha, pode levar vantagem na peleja o prefeito interino, com a máquina pública na mão e o apoio do cacique local Lindomar Garçon, eleito três vezes naquela cidade.

A pavimentação
Com recursos de emendas parlamentares de congressistas, graças as suas boas relações com a bancada federal, o prefeito Hildon Chaves (PSDB) aposta forte na pavimentação das ruas da cidade para seu projeto de reeleição. O alcaide também trabalha com celeridade na regularização fundiária na Zona Leste, a mais populosa da capital, por conseguinte mais densa eleitoralmente.

Via Direta
O baita reajuste da energia em Porto Velho e em Rondônia elevou os preços de produção e venda de tijolos de telhas de barro e de tantos outros produtos nestas bandas. O professor Herbert Lins, agora absolvido pela justiça, entra na peleja pela prefeitura de Nova Mamoré, no Vale do Guaporé . Porto Velho esta para ganhar o seu segundo shopping. Desta vez, na região da populosa Zona Leste, entre as avenidas Amazonas e Raimundo Cantuária. Por conta disto já rola especulação imobiliária na região.


Escreva um comentário

Arquivos de colunas