Porto Velho/RO, 11 Dezembro 2019 16:55:19

    CarlosSperança

    coluna

    Publicado: 11/12/2019 às 08h45min | Atualizado 11/12/2019 às 08h48min

    A-A+

    O Brasil já recebeu legalizados 21 mil refugiados venezuelanos

    Negacionistas e apocalípticos  Como santo de casa não faz milagre e os brilhos das estrelas e listras da bandeira americana são uma..

    Negacionistas e apocalípticos 

    Como santo de casa não faz milagre e os brilhos das estrelas e listras da bandeira americana são uma inspiração para muitos, as advertências do Inpe são descartadas sob a suposição de ser influenciadas por ongs, mas o aviso da Nasa sobre a destruição na Amazônia causa um barata-voa dentro e fora do “estamento” governamental, no país e no exterior.

    O que assusta na advertência da Nasa não é a ameaça de um Apocalipse futuro, passível de ser posto em dúvida pelos negacionistas profissionais. Bons negacionistas provam que a causa do câncer do pulmão não é o cigarro, mas o próprio pulmão. Os do clima defendem que o aquecimento global não preocupa porque a natureza vai regular tudo na hora necessária.

    Só que, segundo a Nasa, o desmatamento maior, as queimadas sem controle e a maior concentração de gases de efeito estufa não vão causar efeitos só num futuro remoto. Seus efeitos já estão visíveis agora: deixam agora a floresta tropical mais seca, fazendo crescer a demanda por água e tornando os ecossistemas mais vulneráveis aos incêndios e outros desastres.

    Resta aguardar qual será o próximo contorcionismo retórico para explicar porque um fenômeno anunciado para daqui a décadas produz seus efeitos já, agora. Talvez os negacionistas, já sem negar, digam que o erro dos profetas foi prever o desastre no prazo de meio século e não dobrando a próxima esquina.

    ……………………………………………..

    A convivência

    Os rauppistas não se queixam mais do comportamento predador do ex-governador Confucio Moura, atual senador da República. Antes, de acordo com as reclamações, como uma sucuri, El Carecon asfixiou o então senador Valdir Raupp até o talo. Primeiro na convenção, depois na eleição que tirou a cadeira do barbudo queixada do Senado e por fim, tomou o cargo de Raupp de vice-presidente do Diretório Nacional do MDB.

    Olho no predador

    A grande verdade é que Confúcio está acostumado a dar o bote nos adversários e virar o jogo. Lembram da tentativa de impeachment? E pelo jeito o próximo a levar um laço apertado de sucuri é o governador Marcos Rocha (PSL), já que nos bastidores se propala que Confucio quer voltar ao posto. Verdade seja dita: Confucio foi competente como deputado federal, como prefeiro e governador e tem sido destaque rondoniense no Congresso como Senador. 

    Estragou o negócio

    A venda do marmitex economico a R$ 5,00 tinha virado uma febre em vários pontos definidos em avenidas comerciais de Porto Velho. No entanto, o drástico aumento do preço da carne bovina – que teve reflexos também nos preços da carne de frango e até do nosso amado tambaqui – estragou o negócio de muita gente, pois a maioria dos empreendedores foi obrigada a reajustar para R$ 7,00 a quentinha – e ainda com “bife de sóião”.

    Os refugiados

    Nas contas dos órgãos de controle da esfera federal, o Brasil já recebeu legalizados 21 mil refugiados venezuelanos nos últimos anos. E existem mais 120 mil no Brasil a espera de regularização, trabalho e moradia espalhados nos mais diversos estados. O maior acolhimento, pela ordem, acontece em São Paulo, Santa Catarina e Paraná. Na Amazonia, Boa Vista (RR), Manaus (AM) e Porto Velho (RO) servem de passagem para o sul maravilha.

    Mais legendas

    Os recursos do fundo partidário – sujeitos a aumentar na eleição de 2020 – estão atiçando a cobiça dos políticos brasileiros, como uma verdadeira corrida maluca ao garimpo do ouro. São quase 30 siglas partidárias regularizadas recebendo os fundos e mais 77, incluindo a Aliança Pelo Brasil da familia Bolsonaro – em fase de regularização perante o Supremo. Uma farra partidária com os recursos públicos.

    Via Direta

    *** Uma tradição esta prejudicada em Rondônia, talvez por causa da crise*** Os políticos acostumados a achacar empresários e comunicadores habituados a chantagear os políticos estão se dando mal na temporada*** Os achacadores que fazem uns “vales” de final de ano se queixam que as coisas estão difíceis para conseguir o chivas das crianças no Natal*** Conforme as reclamações, os politicos e empresários estão mais cara-de pau. Tempos atrás com qualquer “rabinho” já liberavam alguma coisa, agora nadica de nada*** E olha que não faltam lideranças com rabo de palha na região já que se pratica toda sorte de golpes contra o erário*** Desde rachadinhas com funcionários fantasmas, ao superfaturamento do pãozinho da merenda escolar temos práticas que remontam há mais de três décadas na aldeia.


    Deixe o seu comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas