Porto Velho/RO, 15 Outubro 2020 09:37:35

CarlosSperança

coluna

Publicado: 15/10/2020 às 09h35min | Atualizado 15/10/2020 às 09h37min

A-A+

O candidato mauricinho é considerado pé-frio em chapas puro sangue dos tucanos rondonienses

Desunidos e desesperados  Apesar de uma centena de pequenos municípios terem candidato único, a maioria dos municípios, especialmente..

Desunidos e desesperados 

Apesar de uma centena de pequenos municípios terem candidato único, a maioria dos municípios, especialmente as capitais, apresentam um número enorme de candidatos. Dois fatores predominam para estabelecer esse quadro. O primeiro é a desesperada tentativa dos partidos registrados de ultrapassar as duras cláusulas de barreira, que os obrigam a ter votações elevadas e bem distribuídas nacionalmente. 

É uma empreitada dificílima por conta do fundo partidário, que irriga os grandes partidos, e pelo desânimo dos eleitores. Eles sempre votam em candidatos que prometem combater a corrupção, mas a cada dia veem os malfeitos se multiplicar, em transações mafiosas, caixa 2 e lavagem de dinheiro.

O segundo fator é a existência de duas desuniões muito claras: no bloco vencedor em 2018, as alas militar, evangélica, ideológica, técnica, boi, bala e extrema-direita disputam palmo a palmo posições dentro do governo e nas eleições elas aparecem muitas vezes apoiando candidatos opostos. 

Ainda mais desunidas, as oposições se dividem entre as alas liberal na economia e costumes, centro-esquerda, verdes, trabalhismo, lulismo, esquerdas leninista, estalinista e trotsquista. O que virá de tanta desunião será mais crise, a menos que os eleitos sejam capazes de unir para aproveitar a melhora das condições econômicas mundiais pós-pandemia.

………………………………………………………….. 

Eleições 2020

Com tantos candidatos – mais de vinte municípios com 15, 16 postulantes nas pelejas – algumas municipalidades se revelam apetitosas para a classe política. São os casos de Curitiba, Campo Grande e até Porto Velho que aumentou 150 por cento o número de seus postulantes no pleito deste ano, conforme o G1. Mesmo com problemas insanáveis até agora, como alagações, saneamento básico que aglutina rede de galerias fluviais, distribuição de água tratada e coleta de esgoto, Porto Velho é uma prefeitura atrativa para os políticos.

Sem atrativos

Sem atrativos mesmo é a prefeitura de Pimenta Bueno, palco de afastamentos de prefeitos e prefeitas nos últimos anos. Trata-se de um município com pouco mais de 50 mil habitantes, arrecadação mixuruca que no passado foi conhecida como a “Princesinha da BR” pelo seu esplendor. Outra “princesa” que se esfacelou foi Guajará Mirim, conhecida como a Pérola do Mamoré, hoje vivenciando uma crise daquelas e precisando ser revitalizada.

Um pé frio?

Os adversários do prefeito Hildon Chaves (PSDB) afirmam que o alcaide escolheu mal o seu vice, instalando uma chapa puro sangue. Argumentam que o vereador Mauricio Carvalho é uma nulidade e enterrou a candidatura ao governo de Expedito Junior na capital em 2018 e vai fazer a mesma coisa com o tucano. Na formação de uma chapa puro sangue realmente ocorreu um equívoco do alcaide pois deixou de se reforçar a aliança com outros segmentos do eleitorado, mas no caso de Expedito, foi a rejeição do ex-senador em Porto Velho a grande causa da derrota – e não do jovem mauricinho.

As estimativas

Nas estimativas dos quartéis generais de campanhas da oposição, o prefeito Hildon Chaves vai atingir no máximo 25 por cento de intenções de votos na atual campanha, um teto muito baixo para a disputa no segundo turno. Nas avaliações dos sabidões oposicionistas, ele vai levar muito pau dos adversários e a tendência ainda é diminuir ainda mais seu percentual de aprovação perante o eleitorado. Já, os adeptos do tucanato veem o alcaide crescendo na hora certa para desembarcar forte no segundo turno

Cavalo de Tróia

Tem um candidato a prefeito sujo e trapaceiro, que teria instalado um cavalo de tróia na campanha de um adversário na capital. O espião passa todo dia agendas, estratégias de campanha. Não seria a primeira vez que isto acontece nestas bandas, a jogada vem de longe e tem funcionado inclusive em campanhas majoritárias ao governo do estado nos últimos anos.  Caso não seja descoberto, o tempo vai provar, pois o traíra em caso de vitória do seu verdadeiro patrão,  geralmente é recompensado com cargo do primeiro escalão.

Via Direta

*** Alguns candidatos a prefeitura de Porto Velho estão na jornada 2020 na condição de meros coadjuvantes. Sem expressão,  quase sem horário eleitoral, nomes como Geneci Gonçalves (PSTU) e Ted Wilson (PRTB) estão com dificuldades na decolagem*** Por outro lado, temos candidatos que merecem se eleger pelo critério de longevidade nas disputas. Pimenta de Rondônia no PSOL disputa eleições há mais de duas décadas e nunca ganhou nadica de nada*** Os adversários da atual administração na capital cutucam o alcaide tucano dizendo que ele está recapeando ruas no centro sem necessidade, relegando os bairros periféricos ainda não contemplados com pavimentação*** E a voz das ruas ecoa na capital, com uma multidão de indecisos tanto para prefeito como para a vereança.

 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas