Porto Velho/RO, 10 Dezembro 2019 07:20:01
    Diário da Amazônia

    O Cidadão Samba de PVH completa 81 anos hoje

    A comunidade do meu samba, nasceu na Vila Confusão, um aglomerado de barracos, que existiu, no local onde hoje existe a Galeria Lacerda no..

    Por Silvio Santos Diário da Amazônia
    A-A+

    Publicado: 11/08/2019 às 08h36min

    A comunidade do meu samba, nasceu na Vila Confusão, um aglomerado de barracos, que existiu, no local onde hoje existe a Galeria Lacerda no centro de Porto Velho. Isso nos idos dos anos 1940, quando pra cá vieram os chamados Soldados da Borracha durante a 2ª Guerra Mundial.

    Entre os tantos “arigós” que desembarcaram no porto do Plano Inclinado um se destacou, primeiro por não aceitar ir para os seringais e preferir ficar na cidade, onde passou a ser vendedor de bilhete da Loteria Federal durante o dia e a noite vendia bombom em frente ao Cine Teatro Resk seu nome Eliezer dos Santos mais conhecido como “Bola Sete”.

    Bola Sete apesar de não morar na Vila Confusão já que seu reduto era o Mocambo, sempre frequentava as rodas de capoeira por ser baiano que aconteciam na Vila onde a maioria dos moradores era do sexo masculino e por isso, as brigas eram constantes o que gerou o nome “Vila Confusão”. Era ali também que os boêmios da cidade se encontravam aos sábados para comer “Panelada” e se diverir tocando e cantando samba e outras músicas e foi ali também que o Bola Sete junto com outros parceiros criou a primeira escola de samba de Porto Velho a “Deixa Falar”.

    Por lá sempre estava um garotinho, das pernas tortas, que se destacava por saber tocar pandeiro e outros instrumentos de percussão. Pra li ele foi levado pelo seu irmão mais velho, que tocava violão e foi dessas rodas de boemia, que Porto Velho ganhou seu eterno Mestre Cidadão Samba.

    O nome do garoto é Waldemir Pinheiro da Silva – popularmente conhecido como Mestre Bainha.

    Bainha nosso eterno Cidadão Samba está completando na data de hoje 11 de agosto, 81 anos de vida e que vida, em plena forma, sambando, compondo e participando de tudo quanto é roda que acontece na capital de Rondônia.

    Bainha foi um dos fundadores das escolas de samba Os Diplomatas, Mocidade Independente do KM-1, Unidos da Nova Porto Velho; Unidos da Castanheira e fundou escola de samba até em Ji-Paraná.

    Todo primeiro sábado do mês, você encontra o Bainha cantando samba de sua lavra no Projeto Samba Autoral.

    Bainha 81 anos de idade, samba e boemia! Parabéns Mestre!



    Deixe o seu comentário