porto velho - ro, 22 Setembro 2019 03:57:40

    CarlosSperança

    coluna

    Publicado: 02/06/2019 às 05h00min

    A-A+

    O desenvolvimento não virá só de ajustes conjunturais

    O sucesso das feiras agropecuárias no Brasil, com destaque recente para a Rondônia Rural Show, mais do que mostrar o Brasil que dá certo..

    O sucesso das feiras agropecuárias no Brasil, com destaque recente para a Rondônia Rural Show, mais do que mostrar o Brasil que dá certo põe a nu as dramáticas deficiências do Estado brasileiro, que se desorganiza a cada troca de governo sem corrigir de fato os velhos problemas.

    O Brasil tem uma grande dívida com o setor que nunca decepciona, mas é sempre decepcionado. Há pouco, a ministra Tereza Cristina e o vice-presidente Hamilton Mourão se deslocaram ao Oriente para desfazer más impressões causadas pelo novo governo, que julgava ter um cheque em branco para fazer o que quisesse sem medir
    consequências.

    A favor do novo governo se pode argumentar que há séculos o Brasil não tem um projeto de nação e os de governo sofrem uma balbúrdia a cada troca de guarda no Planalto. Mas isso precisa acabar. O desenvolvimento não virá só de ajustes conjunturais. Requer políticas consensuais de longo prazo das quais uma é especialmente cara ao
    agronegócio: investir na superação do gargalo da logística, que afeta a competitividade nacional.
    De resto, a pauta inclui ainda um seguro rural digno desse nome e ação do Estado, acima das criancices ideológicas, para defender o setor dos problemas que venham a ser causados pela guerra comercial EUA-China.

    Em Candeias
    Porto Velho perdeu um grande deputado estadual na eleição passada e quem poderá ganhar com isto, um grande prefeito, é o municipio vizinho de Candeias do Jamari, cidade satélite da capital rondoniense. Trata-se do ex-vereador e ex-deputado Ribamar Araujo, que cumpriu vários mandatos em PVH e agora vai disputar a eleição suplementar em Candeias. E olho vivo nas forlas do mal!

    Trocando de guru

    O prefeito de Porto Velho Hildon Chaves (PSDB) estaria trocando de guru. Deixaria Expedito e tucanos, se convertendo ao confucionismo. O Paço Tancredo Neves já esta infestado de emedebistas ligados ao ex-
    governador Confucio Moura, especialista em reviravoltas eleitorais desde Ariquemes. Lembrando que mesmo com o painho El Carecón, Pimentel não foi longe no pleito passado.

    Código de ética
    Os tucanos são criticados por terem afrouxado o seu código de ética, no último encontro nacional, para não precisar punir pilantras da laia dos ex-governadores Aécio Neves (MG) e Beto Richa (PR) entre tantos outros enlameados no ninho. No entanto, não é uma prática adotada apenas pelo PSDB. O MDB, PP além do PT, um campeão no quesito,
    tocam a mesma toada.

    Novo comando
    Por falar em PSDB, o partido começa o projeto do governador paulista João Dória para disputar a sucessão de Bolsonaro. O pontapé incial foi eleger na última sexta-feira o novo diretório nacional, agora atrelado ao novo líder tucano. Geraldo Alckmin, José Serra e cia são coisas do passado. Um novo PSDB esta surgindo, mas com alguns defeitos de sempre, como o divisionismo.

    É impressionante!
    Algo esta mudando em Rondônia, depois de anos de práticas condenáveis com os recursos públicos. O TCE esta cedendo os seus recursos do seu orçamento para a construção do seu novo prédio para a construção de um hospital, os deputados estaduais estão votando as matérias do governo sem pedirem contrapartida para seus bolsos – de
    agulha a avião – e por isto, já é possível acreditar num mundo melhor!

    Via Direta
    O saldo deste início do governo Bolsonaro é nossa economia em queda livre, além de trapalhadas com parceiros comerciais importantes como a China e as comunidades árabes. Mas pelo menos a atual gestão não rapina os recursos como petistas e puxadinhos e tem economizado zilhões com a correção dos rumos do BB e Caixa.

    Voltando a nossa paróquia: com a economia precária em Porto Velho baixou até o preço dos papelotes de maconha e cocaína nas cracolândias. Outra consequência é o abandono de animais pelas ruas. É cruel.


    Escreva um comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas