Porto Velho/RO, 25 Novembro 2021 07:31:38

Diárioda

coluna

Publicado: 25/11/2021 às 07h30min

A-A+

O efeito pandemia na baixa procura por vagas escolares

Em 2021, apesar de amplos apelos, os pais não têm comparecido para matricular os filhos

A evasão escolar é um assunto que precisa ser melhor compreendido pela gestão pública, nesse momento de pós-pandemia. Em tempos anteriores, a fila era enorme para a chamada escolar, uma espécie de pré-matrícula para ajustes de demandas por vagas nas escolas públicas. Neste ano, apesar de amplos apelos, os pais não têm comparecido para matricular os filhos.

O que estaria gerando esse fenômeno? É certo que o efeito covid-19 tem alguma relação direta ou indireta. Como pressupostos podemos levantar que: o tempo de ausências de aulas presenciais podem ter inibido a sequencias dos estudos; os casos constantes de contaminações em escolas públicas podem causar espanto nos pais; mudanças de cidades ou endereços; e muitos outros ‘porquês’ precisam ser compreendidos.

A gestão municipal de educação na Capital aparenta não ter levantado os questionamentos necessários para compreender o fenômeno. Enquanto isso, muitas matriculas que eram previstas, não se confirmam na demanda escolar. Não basta chamar sem entender o fato, pois os apelos podem cair no vazio e as vagas continuarem abertas e as crianças ficarem fora da escola.

É dever explicar o porquê de casos constantes de covid-19 nas escolas públicas. Talvez o maior inibidor nesse momento seria o receio dos pais de que os filhos possam contrair a doença e contaminar outras pessoas na família, inclusive os pais e avôs que são mais vulneráveis. Essa tese poderia ser classificada como pressuposto primário nessa questão de baixa procura para a matricula escolar.


Deixe o seu comentário

sobre Diário da Amazônia

O Diário da Amazônia foi fundado em 13 de setembro de 1993. Um jornal a serviço da sociedade, com respeito pela notícia.

Arquivos de colunas