Porto Velho/RO, 09 Abril 2020 15:52:05

SolanoFerreira

coluna

Publicado: 09/04/2020 às 15h51min

A-A+

O impacto da gripezinha nos negócios financeiros

A situação do Brasil poderia ser mais amena se desde o início houvesse um encontro de informações no sentido de divulgar o que de fato..

A situação do Brasil poderia ser mais amena se desde o início houvesse um encontro de informações no sentido de divulgar o que de fato necessitava. Num primeiro momento houve a ironização do fato, patrocinada pelo próprio governo, minimizando o problema. Mais tarde, quando o problema se tornou real, a população não correspondeu aos critérios que poderiam reduzir o tempo de impacto. Tarde demais está havendo o susto da realidade que poderia ser bem menor.

Entre os danos causados pela pandemia do coronavirus estão a morte, as crises respiratórias, o medo, a angústia, a aflição e a crise econômica sem dimensão. Não dá para calcular o tamanho dos perdas para todas as classes sociais e setores econômicos. A Confederação Nacional do Comércio já calcula o equivalente a 31% na redução das vendas, o Sebrae Brasil apontou que nos últimos dias 89% das micro e pequenas empresas brasileiras tiveram queda no faturamento, e que em grande parte dessas empresas a redução foi de 69% do valor movimentado.
A pesquisa realizada pelo Sebrae assusta ainda mais quando observado que 36% desses empresários impactados pela crise do coronavirus afirmaram que será necessário fechar os negócios permanentemente, em um mês, se as restrições se mantiverem por mais tempo. Mais grave ainda é que 40% pretendem fechar temporariamente os negócios, 25% pensam em fechar permanentemente. A única informação boa da pesquisa é que 26% querem aumentar as vendas on-line.
E para quem pensa que é apenas o coronavirus que ameaça a economia, vale lembrar que o H1N1 e o Influeza (outros tipos de gripes que também vieram como pandemias em seus tempos), ainda não estão controladas e existe riscos de voltarem com força e dimensão de estrago. A situação que estamos vivendo mostra que o mundo precisa repensar suas políticas partidárias, políticas públicas, políticas sociais e políticas econômica de forma que a humanidade possa estar mais segura de diversos e sucessivos ataques.


Deixe o seu comentário

sobre Solano Ferreira

Editor-Chefe do Diário da Amazônia. Comunicador Social e Marketing/ Mestre em Geografia. Atua na Gestão Estratégica e Gerenciamento de Crise.

Arquivos de colunas