Porto Velho/RO, 10 Setembro 2021 10:51:42

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 02/09/2021 às 11h22min

A- A+

O pleito de 2022 cresce em indenizações em Rondônia como um quadro nublado

Chance à ciência Os mais bem informados especialistas eram apenas aprendizes sobre a Amazônia até o início deste século ainda tão..

Chance à ciência

Os mais bem informados especialistas eram apenas aprendizes sobre a Amazônia até o início deste século ainda tão jovem. A vastidão e as dificuldades enfrentadas pelos cientistas, por falta de recursos, por perseguições nacionalistas e recentemente por preconceitos “ideológicos” explicam em parte a ignorância sobre a realidade regional. Caso exemplar se deu com Alexander von Humboldt, impedido de pesquisar no Brasil. Mesmo levando estudos incompletos sobre a natureza da América do Sul, passou à história como um dos mais importantes cientistas da época. 

No presente, qualquer cientista digno desse título sabe que estamos no pré-primário do potencial de conhecimento sobre a região. Há muito a aprender, descobrir e aproveitar. Para isso, é essencial assegurar a preservação e a sustentabilidade. Se a destruição prevalecer vai matar, antes da descoberta, substâncias e produtos que poderiam ajudar a vencer a pobreza no país. 

Até o fim do século XX, por exemplo, havia a certeza de que a Amazônia era imprópria para a agricultura. Já no início deste século XXI havia a certeza de que os maiores manguezais do mundo estavam na Índia e Bangladesh. Com a intensificação das pesquisas pelo rápido desenvolvimento tecnológico, novas realidades saltam à vista e hoje já se sabe que a maior faixa contínua de manguezal do mundo está na Amazônia. Aprofundar o conhecimento, portanto, é imprescindível em toda a linha.

………………………………………………………………………..

Com emendas

Uma das receitas do sucesso do prefeito de Porto Velho Hildon Chaves (PSDB) como bom administrador é sua parceria com a bancada federal, cujas emendas impositivas proporcionam recursos e tem resultado em obras de asfaltamento de bairros inteiros e de drenagem na capital rondoniense para o combate as alagações. Desde Chiquilito Erse, que obtinha bons resultados com entendimento até com adversários – casos de Jeronimo Santana e Raupp – e de Roberto Sobrinho que recebeu uma montoeira de recursos federais, que não se vê tão bons resultados na captação de verbas.

Eleições 2022

São vários nomes cotados para a disputa do governo de Rondônia, embora ninguém confirme nada por enquanto, esperando a conclusão de alianças. Mas sabe-se que o atual governador Marcos Rocha (ainda sem partido) já toca seu projeto de reeleição. Os outros nomes são do senador Marcos Rogério (DEM), ex-governadores Ivo Cassol (PP), Confúcio Moura (MDB), ex-senadora Fátima Cleide (PT). Neste cenário se vê o bolsonarismo rondoniense rachado. A articulação do presidente já atua visando um entendimento entre os três candidatos da base do Palácio do Planalto.

 As especulações

Nos meios cassolistas tem algumas especulações correndo a solta. Caso ele, Ivo Cassol, não consiga resolver suas pendengas com a justiça eleitoral, nosso ex-governador apoiaria o deputado federal Leo Moraes para disputar o governo e sua mana, a deputada federal Jaqueline para o Senado. Uma outra possibilidade cogitada desde o final de semana é dele acertar aliança com o prefeito de Porto Velho Hildon Chaves ao CPA Rio Madeira e indicar a mana a vice-governadora, apoiando Leo Moraes ao Senado. É o que circula pelos bastidores, é o peixe que me venderam. 

 As coisas mudam!  

E de conhecimento geral, que a política rondoniense muda de forma e tamanho como as nuvens. O combinado até pouco tempo seria Marcos Rogério ao governo, a esposa de Hildon Chaves Ieda a vice e Expedito Junior ao Senado. No entanto, a determinação do Diretório Nacional do PSDB, é que o partido tenha candidaturas próprias aos governos estaduais, e no caso de Rondônia se cobra que Hildon Chaves assuma logo a postulação. As pressões têm aumentado, as adesões se avolumam e lideranças do interior estão se unindo neste sentido.

O novo combinado

Num novo possível combinado, a primeira dama de Porto Velho Ieda Chaves seria candidata à Câmara dos Deputados reforçando a chapa tucana que só tem a deputada federal Mariana Carvalho como candidata de ponteira. Isto obrigaria o senador Marcos Rogério mudar seus planos. Então ele sairia ao governo, Expedito Junior ao Senado e buscaria um outro nome a vice na sua chapa na capital com capilaridade para reforçar suas paliçadas no maior reduto eleitoral do estado. É de costura em costura, de combinado em combinado que as coisas vão andando e as melancias se ajeitando no caminhão!

Via Direta

*** Poucos deputados estaduais da primeira legislatura da Assembleia Legislativa de Rondônia eleita em 1982 ainda estão firmes e fortes *** Entre eles, os ex-governadores José Bianco e Oswaldo Piana Filho, o ex-deputado e ex-prefeito de Porto Velho Tomás Correia *** Bianco reside na sua amada Ji-Paraná, mas volta e meia está capital. Piana reside no Rio de Janeiro há quase duas décadas e Tomás Correia em Jaru *** Algumas unidades das instalações do antigo Supermercado Gonçalves leiloadas em Porto Velho já estão em reformas e devem entrar em funcionamento até o final do ano *** São os casos das lojas situadas no Olaria e 4 de Janeiro *** Já tem farmácias operando 24 horas na capital com todos os serviços de ambulatório. É o caso da Santo Remédio no cruzamento das avenidas Abunã com Jorge Teixeira.  

 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas