Porto Velho/RO, 26 Fevereiro 2021 08:50:00

SolanoFerreira

coluna

Publicado: 26/02/2021 às 08h49min

A-A+

O poço agora é mais fundo!

Não foi por falta de aviso, não foi! Não foi por falta de esclarecimentos, não foi! Não foi por falta de medidas protetivas, não foi!..

Não foi por falta de aviso, não foi! Não foi por falta de esclarecimentos, não foi! Não foi por falta de medidas protetivas, não foi! No entanto, tudo isso também não foi o suficiente para fazer que uma parcela da população, do alto de sua irresponsabilidade, continuasse aglomerando, promovendo festas clandestinas, continuasse a não usar máscara, continuasse não estando nem aí para a pandemia do novo coronavírus. O resultado disso? Voltamos ao fundo do poço! 

É triste! É preocupante, mas infelizmente, essa é a realidade que Rondônia vive hoje com a escalada alarmante dos registros de novos infectados pelo novo coronavírus, e de mortes provocadas pela Covid-19, doença causada pelo vírus. Aqui está a justificativa onde o pico atual de mortes por Covid-19 supera a fase mais grave da doença em 2020.

Nessa estatística macabra, esses irresponsáveis não percebem que quem perde é a vida, quem perde são as famílias que choram seus mortos (que pode ser a dele). A gravidade dessa situação está no fato de uma parcela da população continuar a desdenhar da doença, dando ouvido a um negacionismo destruidor que colocou o Brasil na contramão do planeta no combate à pandeia. E continuamos a contar os nossos mortos, número que não para de crescer. 

Para se ter uma ideia, só na última quarta-feira (24), Rondônia registrou 42 duas mortes por Covid-19, ou seja, são quase duas vidas perdidas por hora, um aumento de 75% comparado aos óbitos do dia anterior. Os números mostram que voltamos ao fundo do poço, com a diferença que dessa vez o poço é ainda mais fundo, que levou o secretário de Saúde do estado, Fernando Máxima, a fazer um apelo desesperado nas redes sociais, direcionado justamente aos irresponsáveis que continuam nem aí para doença, levado risco iminente de contaminação de seus familiares e amigos.

O secretário vai direto ao ponto ao afirmar que não há mais leitos disponíveis para ninguém, nem mesmo para os familiares desses irresponsáveis, caso algum deles necessite internar a mãe, a filha, a esposa, o irmão… Não há mais leitos disponíveis aqui e nem nos outros estados que estavam socorrendo Rondônia e não há também como abrir novos leitos por falta de profissionais para colocá-los funcionando. 

E não é só isso. As novas cepas do novo coronavírus que circulam por aqui contaminam muito mais que a original. Quer mais? Das mortes registradas atualmente em 40% dos casos a vítima não tinha registro de outras doenças (comorbidade) que pudesse agravar seu estado clínico. Entre eles, muitos eram jovens. Mesmo assim, isso tudo ainda é pouco para chamar a atenção dos irresponsáveis que continuam brincando com a vida dos outros.


Deixe o seu comentário

sobre Solano Ferreira

Editor-Chefe do Diário da Amazônia. Comunicador Social e Marketing/ Mestre em Geografia. Atua na Gestão Estratégica e Gerenciamento de Crise.

Arquivos de colunas