Porto Velho/RO, 15 Fevereiro 2020 07:00:42

    SolanoFerreira

    coluna

    Publicado: 15/02/2020 às 07h00min

    A-A+

    O valor étnico de Rondônia como berçário Tupi-Guarani

    A pesquisa realizada pelo Departamento de Genética e Biologia Evolutiva do Instituto de Biociências (IB) da USP (Universidade Federal de..

    A pesquisa realizada pelo Departamento de Genética e Biologia Evolutiva do Instituto de Biociências (IB) da USP (Universidade Federal de São Paulo), traz dados interessantes sobre a origem dos povos Tupi e Guarani. Apesar que ainda são hipóteses, estudo a partir da carga genética indicam que tudo teriam começado em Rondônia, nas etnias Karitiana (Porto Velho), Surui (Cacoal) e Zoró (entre Rondônia e Mato Grosso perto de Espigão do Oeste). Pesquisadores da USP tem duas hipóteses dessa migração e origens, mas as duas partem de Rondônia.

    Esse tipo de pesquisa é importante para compreender a origem humana nas Américas. Se os berçários dos dois principais trocos étnicos partiram da atual Rondônia, como esses habitantes chegaram até aqui? São perguntas que ainda não estão completamente respondidas, apesar de haver pesquisas nesse sentido. A mesma dúvida paira sobre a origens dos Inca, Maia e Asteca que estão em terras americanas muito antes das primeiras caravelas portuguesas e espanholas.

    A história contava que, quando os portugueses chegaram no Brasil, encontraram índios (povos nativos) que habitavam a terra. O pressuposto inicial é de que, a partir do litoral brasileiro, esses povos migraram para outras terras devido a chegada dos europeus. Agora a história e indica que tudo começou na Amazônia. Essa região é cheia de mistérios, riquezas e histórias que podem explicar muito sobre a vida humana na Terra.

    Para Rondônia, se souber aproveitar, seria questão de dar o devido valor a essas culturas e aproveitar todo o potencial das aldeias que ainda restam e criar mecanismos econômicos sustentáveis para os povos remanescentes.


    Deixe o seu comentário

    sobre Solano Ferreira

    Editor-Chefe do Diário da Amazônia. Comunicador Social e Marketing/ Mestre em Geografia. Atua na Gestão Estratégica e Gerenciamento de Crise.

    Arquivos de colunas