Porto Velho/RO, 02 Fevereiro 2020 05:57:18

    Victoria Angelo

    coluna

    Publicado: 30/01/2020 às 19h21min | Atualizado 30/01/2020 às 19h25min

    A- A+

    Onyx do DEM perde espaço para General Ramos e Casa Civil é esvaziada.

    General Ramos que é da Secretaria-Geral de Governo passa a ter o controle que antes pertencia à Casa Civil com Ônix Lorenzzoni.

     

    Aqui se faz, aqui se paga, diz o ditado. Quem assistia ao espetáculo televisivo da GloboNews à época do “mensalão” em 2005 embrião da lava-jato que “purificou” o “nefasto” poder político no país há de lembrar do Ônix, sentado sempre na fileira da frente, estrategicamente posicionado, com uma cuia de um lado e a ignorância que lhe é peculiar do outro, deve estar pensando: não se deve cuspir para cima! Onyx frita até virar carvão!

    Onyx queima como madeira molhada.

    Onyx vinha se comportando como “ponte” para Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, ambos do Democratas (DEM), partido do chefe da Casa Civil da Presidência que teve seu poder de decisão e controle político do Governo esvaziado pelo presidente Bolsonaro e substituído o controle político pelo General Ramos da Secretaria-Geral da Presidência.

    Esvaziado na Casa Civil com a decisão do presidente Jair Bolsonaro de tirar o Programa de Parcerias e Investimento (PPI) da pasta, o ministro Onyx Lorenzoni, na avaliação de seus aliados, deveria deixar o governo e voltar para a Câmara dos Deputados. O ministro está em férias e retorna a Brasília na segunda-feira (3).

    Onyx tornou-se um caso raro de ex-ministro no exercício do cargo. Não reúne condições mínimas de permanecer no governo. Ou retorna ao seu mandato de deputado federal ou entra na fila do INSS como postulante de uma aposentadoria por invalidez.

    Segundo interlocutores do ministro da Casa Civil, o presidente sinalizou claramente, pelas redes sociais, seu descontentamento com Onyx ao mandar demitir novamente Vicente Santini, exonerar o secretário-executivo que o havia substituído, Fernando Moura, e transferir o PPI para o Ministério da Economia.

    Bolsonaro e Onyx Lorenzzoni durante evento no Palácio do Planalto.

    Onyx tornou-se um caso raro de ex-ministro no exercício do cargo. Não reúne condições mínimas de permanecer no governo. Ou retorna ao seu mandato de deputado federal ou entra na fila do INSS como postulante de uma aposentadoria por invalidez.

     

    O texto acima foi construído apoiado nas publicações de Folha, O Globo, Portal R7, Gazeta do Povo e O Antagonista.


    Deixe o seu comentário

    sobre Victoria Angelo Bacon

    Colaborador do Diário da Amazônia - Jornalista e professora de Língua Portuguesa e Comunicação. Graduada pela Universidade do Estado do Paraná. Especialista em Mídias Sociais pela PUC/PR. Assessora de Comunicação do Governo de Rondônia. Lecionou disciplinas de Comunicação e Linguagem na UFAM, UAB/UNB e Rede Pública de Educação de Rondônia. Secretária Executiva da Universidade Federal de Rondônia e dirigente sindical do SINTUNIR- UNIR. Colunista e apresentadora no Rondoniaovivo do programa Diálogo. Âncora do programa Diálogo nas Redes Sociais na Rede TV Rondônia em 2020.

    Arquivos de colunas