porto velho - ro, 18 Setembro 2019 14:10:51
    Polícia

    Operação da Polícia Civil prende assaltantes de banco em Rondônia

    A Polícia Civil de Rondônia deflagrou na manhã desta quarta-feira (15), a operação “TNT Prime”, para desarticular organização..

    Por PC
    A- A+

    Publicado: 15/05/2019 às 09h37min | Atualizado 15/05/2019 às 10h56min

    A Polícia Civil de Rondônia deflagrou na manhã desta quarta-feira (15), a operação “TNT Prime”, para desarticular organização criminosa especializada em furtos e roubos a agências bancárias e caixas eletrônicos. O bando era comandado por presos que de dentro da Casa de Detenção José Mariano Alves da Silva, o Urso Branco. Estão sendo cumpridas 14 ordens expedidas pela 2ª Vara Criminal de Porto Velho. A ação foi desencadeada pela Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (DERF), com o apoio da Delegacia Especializada de Repressão aos Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA) e do Grupo de Operações Táticas Especiais da Polícia Civil (GOTE). Já foram presos 11 envolvidos.

    VEJA MAIS:

    Polícia prende suspeitos que atuavam em furtos e roubos a bancos

    Após as investigações, os policiais conseguiram identificar os membros da organização criminosa que são Bruno S.R., Rayel G.M., Eder M.A., Vitor N.O., Sabrina A.M., Rarison D.P.S., Jhonatan R. A., Gabriel F.M.P, Hecton C. S., Gabriel P. C. e Matheus S.S.

    Segundo as investigações, a quadrilha também está envolvida com outros crimes, como o tráfico de drogas, roubos, posse de arma de fogo, entre outros, bem como que os investigados possuem vínculo com facções criminosas.

    Os policiais apuraram ainda que a organização criminosa foi responsável por pelo menos dois ataques a agências bancárias na Capital, sendo o primeiro contra o Bradesco e o outro contra o Itaú. Os criminosos utilizaram dinamite.

    De acordo com as diligências, foi apurado que os criminosos sempre utilizavam dinamite e que o primeiro episódio ocorreu contra a Agência Bradesco Prime, localizada no centro da Capital, daí o nome da operação”.

    O delegado responsável pela investigação esclareceu ainda que há dois mandados de prisão preventiva que não foram cumpridos, uma vez que os acusados não foram localizados. Ele ainda ressaltou que caso existam vítimas que reconheçam os suspeitos em outras infrações penais, devem procurar imediatamente a Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (DERF).

    Estão sendo cumpridos 11 mandados de prisão preventiva e três de busca e apreensão domiciliar.



    Escreva um comentário