porto velho - ro, 18 Julho 2019 11:46:29

Solano Ferreira

coluna

Publicado: 01/02/2019 às 10h16min

A- A+

Os novos parlamentares

Os novos parlamentares assumem seus mandatos nesta sexta-feira, diante de um país cheio de esperanças e movido pela tendência de..

Os novos parlamentares assumem seus mandatos nesta sexta-feira, diante de um país cheio de esperanças e movido pela tendência de mudanças que proporcionou uma vasta renovação na política nacional. Alguns dos novos componentes do Congresso Nacional e das Assembléias Legislativas estaduais são caras novas, ainda não experimentadas na vida pública, que surgiram como surpresas e até anônimos ao cenário político. Outros cumprem seus primeiros mandatos, mas despontam de alguma militância social ou cumpriram mandatos em cargos menores, e tem aqueles que retornam depois de períodos sem mandatos.

Apesar da importância do poder proporcionado pelo mandato parlamentar, o protagonista continua sendo o eleitor, que, através das redes sociais eletrônicas provocou uma transformação social pelo voto, com influência direta em decisões e resultados. O eleitor surge como agente político e não mais como mero cidadão cumpridor do dever do voto obrigatório numa democracia consolidada.

Por isso, o maior desafio da nova política é tomar decisões republicanas e ser bem compreendida pelo cidadão que detêm o poder e o controle social, incrementado por um moralismo sem precedente. É certo que o novo eleitor estará monitorando na palma da mão cada ação e cada decisão daquele que o representa, no sentido de controlar demandas que gerem segurança pública, segurança econômica e segurança social.

A reforma da Previdência será o maior desafio inicial pela urgência e pela complexidade. Mexerá com interesses de trabalhadores gerais e de classes específicas, e naturalmente, haverá pressões no sentido de manter privilégios e direitos adquiridos, mas o olhar deve firmar para o bom senso de salvar o sistema e garantir a manutenção previdenciária. Em Rondônia, o desafio do novo Governo e do novo Parlamento será o equilíbrio das contas sem perder a dinâmica de crescimento.

A maior responsabilidade dos que tomam posse hoje, caberá aos que sentam nas cadeiras da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, que precisam votar matérias urgentes e essenciais, determinando os rumos do país e gerando a segurança jurídica que a administração pública e a administração privada necessitam para trabalharem em prol do crescimento e do desenvolvimento socioeconômico.

congressistas precisam legislar sobre temas urgentes como as reformas da Previdência, tributária, política e do Judiciário, e ainda dar respostas junto com o Governo Federal sobre o combate a corrupção e a violência urbana. Apesar dos desafios, a esperança é grande e a tolerância imediata.


Escreva um comentário

Arquivos de colunas